Rebelião no partido do governador de Goiás

Deputado Roberto Balestra lidera prefeitos do PP que rejeitam apoio a Vanderlan Cardoso, do PR, e querem aliança com Marconi

Gustavo Martins, IG Goiás |

O governador de Goiás, Alcides Rodrigues (PP) corre o risco de perder o controle do partido. Uma rebelião comandada pelo deputado Roberto Balestra quer impedir o apoio da legenda ao candidato Vanderlan Cardoso (PR) e retomar a aliança com o senador Marconi Perillo (PSDB).

Alcides rompeu com Perillo em 2009. O tucano foi o principal responsável por sua vitória nas eleições ao governo em 2006, quando disputou o pleito com o atual prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela (PMDB). A justificativa teria sido a precária realidade das finanças que o governador herdou, a ponto de anunciar déficit nas contas do Estado da ordem de R$ 100 milhões mensais.

O impasse no PP culminou em reunião nesta quinta-feira, 24, na Fazenda Laranjal, no município de Inhumas, a 35km da Capital, de propriedade do deputado Roberto Balestra. Estiveram presentes 160 lideranças do partido, entre prefeitos, presidentes de comissões provisórias e diretórios municipais. Os descontentes fazem coro contra o que chamam de imposição da cúpula pepista pelo apoio à candidatura de Vanderlan, que tem até agora fraco desempenho nas pesquisas realizadas no Estado.

Entre os presentes, 149 pepistas manifestaram em votação secreta preferência pela aliança com o PSDB e quatro optaram pela continuidade no bloco da chamada Nova Frente, que sustenta a candidatura Vanderlan. Os rebeldes pepistas decidiram ainda que, se a coligação com os tucanos for confirmada, o partido reivindicará a vaga de vice.

O nome mais cotado para a vice é justamente o de Balestra. Ele disse nesta sexta-feira que se sentiu maltratado pela cúpula do partido e pelo governo ao não ser consultado antes da declaração oficial de apoio a Vanderlan.

O governador, que ficou sabendo da rebelião antes do contato com Balestra, teria chamado o deputado de “traidor”. Alcides estava em evento que lançava o Centro de Apoio ao Romeiro em festa tradicional no município de Trindade, na Grande Goiânia . Ele se sentiu mal e preferiu não discursar na solenidade.

A revolta dos pepistas não é recente. Começou com o lançamento da pré-candidatura de Vanderlan Cardoso. Desde então, prefeitos do partido manifestam vontade de apoio a Marconi Perillo, que lidera as pesquisas de intenção de votos. No final de março, 30 prefeitos do partido se reuniram com o pré-candidato tucano para expor revolta com a decisão imposta pela cúpula do PP. A convenção do partido esta marcada para o domingo (27) e devem votar cerca de 200 delegados.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG