'Queremos continuar governando este País', diz Lula

O presidente afirma que ele e os nordestinos podem e querem continuar governando o Brasil. "O Estado não é para servir os ricos"

Agência Estado |

selo

A menos de cinco meses de deixar o poder, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que ele e os demais nordestinos querem continuar governando o País. "O (presidente americano Barack) Obama disse que nós podemos.

Eu digo para vocês: Nós não apenas podemos, como gostamos, como queremos continuar governando este País para melhorar o Nordeste e o Brasil". A declaração foi dada durante discurso de improviso em canteiro de obras da ferrovia Transnordestina em Salgueiro, no interior de Pernambuco.

Sem citar a sua candidata Dilma Rousseff, Lula deixou claro que quer ganhar as eleições. "Um presidente da República não tem que inventar. Ele tem que cuidar do povo. Eu quero ganhar as eleições para cuidar do meu povo, como a mãe cuida do seu filho", afirmou. "O Estado não é para servir os ricos, mas para ajudar os pobres", acrescentou. Para uma plateia de funcionários da obra da ferrovia, o presidente ainda ressaltou que quer deixar como legado a sensação nas pessoas humildes de enxergá-lo como uma delas. "Hoje vocês confiam em mim porque me veem como um de vocês", disse. "O grande legado que vou deixar é o que vocês já disseram sobre mim: É um de nós que chegou lá".

Em conversas reservadas nos últimos dias, Lula tem se queixado de que setores da oposição tentam pregar um medo nos eleitores em relação à Dilma, segundo assessores. No discurso de hoje em Salgueiro, Lula chegou a se referir ao assunto, mas citando apenas o medo que eles (eleitores) tinham dele em eleições anteriores. "Eu perdi duas eleições porque o povo deste País tinha medo de mim", afirmou. "Até que o tempo foi passando e vocês me deram a chance de governar este País".

Lula ainda criticou a ação do Ministério Público, a morosidade nos processos de licenciamento ambiental e atuação da Justiça como fatores que favorecem a grande demora de obras como a ferrovia Transnordestina. "É um verdadeiro inferno concluir um projeto dessa magnitude", enfatizou. O cronograma das obras da Transnordestina está atrasado. Inicialmente, o governo chegou a avaliar que iria inaugurar a ferrovia até dezembro deste ano. Hoje, porém, apenas 30% das obras de terraplenagem estão concluídas. Técnicos do Ministério dos Transportes avaliam que antes de 2012, a ferrovia que liga Eliseu Martins, no Piauí, ao Porto de Suape, na região metropolitana de Recife, não estará concluída.

    Leia tudo sobre: LulagovernoDilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG