PT-MG mantém discurso por candidatura de Pimentel

Direção do PT no Estado investe na tese de que Hélio Costa (PMDB) não tem força para ganhar a eleição para governador

Bernardino Furtado, iG Belo Horizonte |

O presidente do PT de Minas Gerais, deputado federal Reginaldo Lopes, começou o dia com um repertório reforçado de argumentos para sustentar a escolha do companheiro de partido, o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel, para a cabeça de chapa da aliança de partidos da base do presidente Lula nas eleições do estado.

Em meio à movimentação do Planalto e do comando nacional petista para forçar uma aliança com o PMDB no Estado, Lopes disse que caiu por terra a principal credencial do outro postulante à disputa, o senador peemedebista Hélio Costa: a competitividade. “Na pesquisa qualitativa, sobre o perfil preferido dos eleitores, índice de rejeição, etc., o Pimentel está melhor. Na quantitativa, não há mais diferença”, afirmou o deputado. Lopes acrescentou que o ex-prefeito de Belo Horizonte atingiu esse lastro no eleitorado mineiro sem nunca ter sido candidato a governador, ao contrário de Hélio Costa.

O PT também se apoia na preferência por Pimentel expressa pelos demais partidos aliados no Estado, como o PCdoB e o PSB, do prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda. "A militância do partido não vai compreender. Já tivemos, contra a vontade do nosso grupo (de Pimentel) de escolher entre dois dos nossos melhores quadros e foi doloroso”, disse Lopes, referindo-se à vitória nas prévias contra o ex-ministro Patrus Ananias.

Reginaldo Lopes disse que o lançamento de candidaturas separadas para governador é improvável. “Vamos sair juntos e conseguir uma frente de 2 milhões de votos para a Dilma em Minas”, apostou.

Reação negativa no PMDB

No PMDB de Minas, foi negativa a reação à divulgação ontem de números favoráveis a Pimentel em uma pesquisa encomendada pelo PT ao Instituto Sensus. O presidente do PMDB-MG, deputado Antônio Andrade, negou-se a comentar o resultado porque, "ao contrário do combinado", esses números ainda não foram apresentados a ele, nem ao senador Hélio Costa. Andrade acrescentou que já possui índices de uma outra pesquisa, esta encomendada pelo PMDB ao Ibope, que "é bem mais favorável" ao ex-ministro das Comunicações. “Só vou mostrá-la no momento combinado com o PT”, retrucou o dirigente peemedebista. Ontem, pelo Twitter, Costa criticou o vazamento dos números. Disse que a atitude não favorecia nas negociações entre os dois partidos.

O desacerto flagrante entre as posições do PT e do PMDB de Minas envolvem até os locais e datas para a definição e anúncio da composição da chapa no estado. Antonio Andrade disse que o acordo entre os partidos é chegar a uma decisão no domingo, dia 6, em Belo Horizonte, que será levada para uma segunda reunião entre as cúpulas nacionais do PMDB e do PT em Brasília, no dia 7, segunda-feira.

    Leia tudo sobre: Minas GeraisHélio CostaPTFernando Pimentel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG