PT-MG apresenta fatura a Hélio Costa

Líderes petistas querem as duas vagas ao Senado, e a criação de uma secretaria de fomento à agricultura familiar

Bernardino Furtado, especial para o iG |

Patrus Ananias deixou o ministério do presidente Lula, perdeu as prévias internas do PT mineiro, com 48% dos votos, e agora é o nome cobiçado por Hélio Costa (PMDB) para vice na chapa de governador. Para a entrada de Patrus na disputa, o grupo do ex-ministro do Desenvolvimento Social já apresentou uma lista inicial de reivindicações: a segunda vaga de candidato a senador, e, como bandeiras de campanha, a criação de uma secretaria dedicada à agricultura familiar e a implantação de um orçamento participativo por regiões do estado.

O deputado estadual Padre João, muito ligado a Patrus, diz que a candidatura ao Senado do ex-prefeito petista de Belo Horizonte Fernando Pimentel, já acertada com Hélio Costa, não pode ser única da chapa porque não atende a todas as correntes do partido. Pleiteiam a vaga o deputado estadual Weliton Prado e o deputado federal Virgílio Guimarães.

Em reunião na manhã desta terça-feira, líderes petistas também rejeitaram a coligação com o PMDB nas eleições proporcionais (deputados estaduais e federais). O PT-MG entende que tem uma chapa forte e não quer contribuir para eleger candidatos do PMDB. “Quem entra na ponta, paga a conta”, resumiu Virgílio Guimarães, numa referência à conquista pelo PMDB da cabeça da chapa majoritária.

No último domingo, quando Pimentel ainda insistia em ser o candidato a governador da aliança, chegou a propor a Hélio Costa que fosse o candidato único ao Senado da aliança e que a coligação fosse estendida para a eleição de deputados.

    Leia tudo sobre: Belo HorizonteHélio CostaPatrus AnaniasPadre João

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG