PT vai trocar programa de Dilma outra vez

Terceira proposta tenta conter repercussão negativa em torno do caso e terá sugestões de outros partidos

Agência Estado |

O programa de governo da candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, protocolado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) será trocado outra vez. A nova versão deverá expurgar propostas marcadas pelo radicalismo, como os ataques aos meios de comunicação, que sobreviveram na segunda edição do plano.

A decisão foi tomada para conter o ciclo de repercussão negativa aberto pela divulgação da primeira versão do programa, marcada por propostas radicais como o combate ao "monopólio da mídia" e taxação das grandes fortunas.

A terceira proposta contará com as sugestões de PMDB, PSB, PDT, PCdoB, PSC e outros partidos da aliança e terá mais cara de programa de governo, de acordo com um dos coordenadores da campanha de Dilma. Por isso, evitará entrar em assuntos como o controle social da mídia, que emergiu das resoluções aprovadas pelo 4.º Congresso do PT.

Um dos coordenadores da campanha de Dilma, o deputado estadual Rui Falcão (PT), disse que não há nenhum problema em fazer mais uma substituição do programa na Justiça Eleitoral. O primeiro programa registrado pelo PT no TSE, na segunda-feira, tinha 19 páginas com resoluções do 4.º Congresso do partido, realizado em fevereiro. Todas as páginas foram rubricadas por Dilma e pelo presidente do PT, José Eduardo Dutra.

Pausa

Dilma Rousseff passa o fim de semana em Brasília, sem compromissos públicos. Na próxima terça-feira (13), a petista e o candidato a vice, Michel Temer, inauguram em Brasília o comitê de campanha.

    Leia tudo sobre: eleiçõesdilmaprograma de governo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG