PT vai ao TRE por votos de Bufalo que devem decidir pleito em SP

Com antigo candidato a vice incluído na ficha suja, postulante do PSOL não tem seus 69.372 votos contabilizados como válidos

Matheus Pichonelli, iG São Paulo |

Azarão da disputa, o candidato Paulo Bufalo (PSOL) pode ser decisivo para a situação das eleições para governador em São Paulo. Até as 19h50 deste domingo, os votos recebidos pelo candidato não são contabilizados com os demais votos válidos pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

A explicação era que o antigo candidato a vice da chapa do PSOL, Aldo Josias dos Santos, implicado na Lei da Ficha Limpa em razão do uso indevido de veículo da Prefeitura de São Bernardo do Campo quando era vereador da cidade, impedia a contagem de votos para o candidato. Um dia antes, o partido substituiu Santos por Antonio Carlos da Cruz, o Tonhão.

O comando da campanha de Aloizio Mercadante anunciou que a advogada do partido, Marcela Querobini, já solicitou informações ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo sobre a situação. A expectativa é a de que, até o final da apuração, os votos de Bufalo passem a ser computados por causa da mudança na véspera.

Segundo dados divulgados à imprensa pelo TRE, Bufalo recebeu até agora 69.372, 0,34% dos votos válidos. Parece pouco, mas pode ser suficiente para mudar o cenário da eleição paulista, já que, 81,5% das urnas apuradas no Estado (por volta das 19h50), apenas 1,5% do total de votos tiravam de Geraldo Alckmin (PSDB) a vitória logo no primeiro turno.

O PSOL divulgou nota sobre o registro da chapa de Paulo Bufalo e a contabilização de seus votos:

"O Partido Socialismo e Liberdade de São Paulo, visando a garantir a validade dos votos da candidatura de Paulo Bufalo ao governo do Estado, protocolou na última sexta-feira, 1/9, a substituição do candidato a vice-governador. A substituição foi realizada dentro do prazo legal e os documentos foram aprovados, porém, devido questões técnicas e protocolares, o Justiça Eleitoral não conseguiu alterar o sistema para que os votos do candidato do PSOL fossem divulgados nos boletins parciais.

Os votos de Paulo Bufalo serão divulgados, segundo informação repassada pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo aos advogados do partido, na totalização final dos votos, que será divulgada na tarde de segunda-feira, 4.

O Partido Socialismo e Liberdade substituiu o Professor Aldo Santos por ele ter sido injustamente enquadrado na Lei do Ficha Limpa. Em seu lugar, o PSOL indicou o Antônio Carlos da Cruz, metalúrgico, ex-diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região, conhecido como Tonhão.

O PSOL reafirma a confiança de que Aldo Santos é inocente e foi enquadrado injustamente na Lei do Ficha Limpa, já que não pesa sobre a sua pessoa qualquer suspeita de corrupção. O então vereador tomou a atitude correta ao utilizar o veículo da Câmara de Vereadores de São Bernardo do Campo para retirar mulheres e crianças do Acampamento Santo Dias pouco antes da violenta reintegração de posse em 2003. O Partido Socialismo e Liberdade seguirá na defesa da Lei do Ficha Limpa, e lamenta que a Justiça Eleitoral não tenha conseguido resolver a tempo as questões técnicas de divulgação dos votos."

* Colaborou Daniela Almeida, iG São Paulo

    Leia tudo sobre: eleições speleições mercadantepsol

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG