Propaganda partidária do DEM está prevista para ir ao ar nesta quinta-feira e deve trazer José Serra como destaque

O PT tentou sem sucesso convencer o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a tirar do ar o programa que o DEM planeja veicular nesta quinta-feira, que deverá dar destaque ao pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, José Serra. O PT tentou justificar que o partido de oposição faria propaganda antecipada em favor do tucano, mas a ação cautelar foi rejeitada. A ação, assinada pelo advogado do PT, Márcio Luiz Silva, foi encaminhada ao gabinete do ministro Aldir Passarinho Júnior.

Sob a coordenação do jornalista Luiz Gonzales, marqueteiro da campanha tucana, a cúpula do DEM vai usar o programa partidário para fazer críticas ao governo do PT. A ideia é entremear a fala dos democratas com as imagens e o discurso de Serra durante o pré-lançamento de sua campanha, no dia 10 de abril, em que o DEM estava na condição de partido aliado.

Com o programa, o comando da campanha espera alavancar a pré-candidatura de Serra com uma superexposição da imagem do tucano. A estratégia pretende reverter as últimas pesquisas de intenção de voto em que Serra apareceu empatado com a pré-candidata petista, Dilma Rousseff. Além do presidenciável, o programa de dez minutos terá a participação do presidente do DEM, Rodrigo Maia (RJ), e os líderes do partido na Câmara, Paulo Bornhausen (SC), e no Senado, José Agripino Maia (RN).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.