PT faz uso da estratégia do `pega ladrão¿, diz Serra

Em São Paulo, tucano volta a acusar a campanha de Dilma no caso da quebra de sigilo de pessoas ligadas ao PSDB

Nara Alves, iG São Paulo |

O candidato tucano à Presidência, José Serra, afirmou hoje que o PT faz uso da estratégia do “pega ladrão” no caso da quebra de sigilo fiscal de quatro pessoas ligadas ao PSDB, entre elas o vice-presidente da legenda, Eduardo Jorge Caldas. “Eles ( PT ) fazem a estratégia do pega ladrão. O sujeito bate a carteira de alguém, enfia a carteira no bolso e sai gritando ‘pega ladrão, pega ladrão’”, disse.

Serra voltou a responsabilizar a campanha da petista Dilma Rousseff pela quebra de sigilo para montagem do que ele classificou de “dossiê sujo”. “Tudo o que foi feito em campanha foi para proveito da campanha dela ( Dilma ), organizado pela campanha dela. Aquele dossiê sujo que estavam preparando com aquele Amauri ( Amauri Júnior, jornalista mineiro que deve lançar um livro sobre as privatizações no governo FHC ), com essa gente, organizado pelo Fernando Pimentel”, acusou.

As declarações foram dada nesta terça-feira, após uma visita tumultuada ao bairro Cidade Tiradentes, na Zona Leste da capital paulista. Serra, que estava acompanhado do candidato do PSDB ao governo do Estado, Geraldo Alckmin, caminhou nas proximidades de uma escola técnica (Etec) construída durante sua gestão como governador de São Paulo. Ele citou o programa “Ler e Escrever” como exemplo nacional e defendeu que a educação seja prioridade no próximo governo. Serra prometeu criar, se eleito, mais creches e pré-escolas, além de valorizar o professor dando incentivo financeiro e colocando um professor auxiliar na sala de aula no primeiro ano do ensino fundamental.

Centenário do Timão

Cercado por pessoas que gritavam hinos da torcida corintiana, Serra foi abordado por integrantes do programa CQC , da Band. Um dos repórteres entregou uma camisa do Corinthians para o tucano palmeirense e pediu que a beijasse. Tentando se safar do constrangimento, Serra recebeu a camisa e fez um afago na torcida corintiana, que comemora amanhã o centenário do clube. “Eu vou levar a camisa e vou beijar lá em casa. Eu gosto muito dos corintianos, dos sãopaulinos, eu gosto muito de todos os times”, disse antes de entrar na van que o levou embora.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG