PT e PSDB marcam atos para o mesmo dia e local em Pernambuco

Enquanto time de Dilma planeja caminhada no centro do Recife, equipe tucana prepara encontro com Serra

Ana Carolina Dias, iG Pernambuco |

A não ser que decidam alterar sua agenda de preliminar de campanha, as campanhas dos presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) correm o risco de se esbarrar no Recife (PE), no próximo dia 22. Os dois lados divulgaram nos últimos dias a intenção de realizar caminhadas e comícios na capital pernambucana nesta data.

A coordenação da campanha de Dilma confirmou nesta quinta-feira que planeja realizar uma caminhada - a mesma que fora programada para encerrar a campanha do governador reeleito Eduardo Campos (PSB), mas que não ocorreu pelo motivo do falecimento do ex-governador Cid Sampaio. A caminhada, que por enquanto não tem previsão de contar com a presença da candidata ao Planalto, sairá da Praça Oswaldo Cruz e terminará na Praça do Carmo. Todavia, a coordenação de Serra já tinha anunciado, desde a semana passada, que fariam um ato público também no centro da cidade.

O coordenador da campanha de Dilma no Estado, João Paulo (PT), negou que exista alguma estratégia para provocar um confronto. “O centro é grande. Temos que ver se há coincidência de área. Não sabíamos que ele ( José Serra ) viria para o centro. Não há intenção de fazer atos semelhantes na mesma cidade. Até porque o tribunal não permite”, afirmou o ex-prefeito do Recife.

O coordenador-geral da campanha de Serra no Estado, deputado federal Bruno Rodrigues (PSDB), ficou surpreso com o fato de os dois atos, o de Dilma e de Serra, ocorrerem no mesmo dia, horário e local. “Vou levar essa coincidência ao conselho da campanha de Serra para tomarmos uma decisão. (...) Estou surpreso, mas não acredito que tenha sido uma afronta ou um desafio deles ( campanha de Dilma ) a nós”.

Contudo, em ato com militantes na noite desta sexta-feira, 15, enquanto falava sobre os caminhos da campanha de Dilma e a “importância dela para dar continuidade ao governo Lula no Estado de Pernambuco”, João Paulo adiantou que vai reivindicar o direito da coligação da petista de manter sua caminhada, visto que já fora protocolada há mais tempo. “Eles ( coligação de Serra ), não entraram com a mobilização da PM. Então a praça da mobilização é nossa”, afirmou.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG