PT diz que pesquisa não preocupa

Presidente do PT afirma que levantamentos demonstram que na votação espontânea Dilma está na frente, o que é um quadro favorável

Agência Estado |

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, recebeu ontem o apoio de representantes de 15 igrejas evangélicas, durante ato em Brasília. Como ela não deu entrevista, coube ao deputado José Eduardo Martins Cardoso, secretário-geral do PT e um dos coordenadores da campanha, falar das últimas pesquisas.

"Não temos preocupação com pesquisas. Elas revelam alguma oscilação, mas o importante é que há empate técnico em todas", destacou. "Os levantamentos demonstram que na votação espontânea Dilma está na frente. É um quadro favorável de crescimento da candidatura."

O encontro com os evangélicos ocorreu dois dias depois da polêmica envolvendo o bispo de Guarulhos, d. Luiz Gonzaga Bergonzini, que pregou o boicote dos católicos à candidatura de Dilma, alegando que ela defende a descriminalização do aborto.

"Eu sou a favor da vida em todas as suas manifestações e seus sentidos", afirmou a petista, na sede da Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil. Ela citou passagens do Evangelho nas quais Jesus fala da vida em abundância. Depois, lembrando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, prometeu "cuidar do povo" como ele. "Quero pedir a vocês que orem por mim."

Na chegada, Dilma foi saudada por obreiras. Passou perto de uma faixa de protesto estendida por dois evangélicos, na qual se lia "Apoiar Dilma é negar a Bíblia". "Aborto não", gritou um homem. O pastor e deputado Manoel Ferreira (PR-RJ), presidente do Ministério de Madureira, pregou o voto na petista. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: Dilmaevangélicosabortopesquisas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG