A resposta do PT terá de ser exposta na página de abertura do site mantido pelo PSDB por dez dias ininterruptos

O PT finalizou o texto a ser divulgado durante dez dias no site tucano "Mobiliza PSDB" em resposta às declarações do candidato a vice na chapa de José Serra, Indio da Costa (DEM-RJ), vinculando o partido ao tráfico de drogas. O PT tentará entregar neste sábado (24), na sede do PSDB em Brasília, o direito de resposta obtido na Justiça Eleitoral.

"O PT condena o terrorismo e rejeita a violência política contra qualquer cidadão, no Brasil ou fora do País. O PT, por meio de suas administrações municipais, governos estaduais e, especialmente, na Presidência da República, combate com firmeza a violência, o tráfico de drogas e o crime organizado, onde quer que ele se manifeste", diz o texto.

Ao contrário da primeira versão, o direito de resposta não cita o nome da candidata petista à Presidência da República, Dilma Rousseff. Inicialmente, o partido tinha encaminhado um texto à Justiça Eleitoral fazendo referências à campanha de Dilma, mas foi vetado pelo ministro Henrique Neves do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que concedeu o direito de resposta.

O advogado do PT, Márcio Silva, reconheceu que a referência à candidata Dilma estava sobrando no texto e o partido alterou a redação para que o direito de resposta não fosse desvirtuado. O texto aprovado, hoje, pela Justiça Eleitoral faz menção à criação do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) pelo governo federal e à vigilância nas fronteiras. "Em nenhum outro governo a Polícia Federal recebeu tanto apoio e atuou com tanta eficácia contra o crime organizado", diz.

A resposta do PT terá de ser exposta na página de abertura do site mantido pelo PSDB por dez dias ininterruptos. Para conceder o direito de resposta, o ministro considerou que as declarações de Indio da Costa tinham evidente tom ofensivo, as acusações foram graves e tiveram grande repercussão nos diversos meios de comunicação e, ainda, que na eleição de 2002 o TSE já havia considerado ofensivo um comportamento semelhante do partido.

O candidato a vice na chapa do tucano José Serra disse, em entrevista na sexta-feira da semana passada no site, que "todo mundo sabe que o PT é ligado às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), ligado ao narcotráfico, ligado ao que há de pior. Não tenho dúvida nenhuma disso".

No texto, o PT diz ainda que a legenda "se relaciona com partidos políticos progressistas, socialistas e democráticos de todo o mundo, num diálogo pela cooperação entre os povos e pela paz mundial. Não pede nem aceita nada que possa ferir nossa soberania". O partido afirma também que é "sustentado exclusivamente pela contribuição de centenas de milhares de filiados e pelos fundos públicos constituídos em lei".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.