PT começa arrecadação online para Dilma na segunda-feira

As doações pela internet, a partir de R$ 13, poderão ser feitas a partir do site oficial da candidata petista

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

Agência Estado
A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, após assinar termo de adesão ao Projeto Presidente Amigo da Criança, da Fundação Abrinq
O PT vai inaugurar nesta segunda-feira o sistema de doações eleitorais online para a campanha da candidata do partido à Presidência, Dilma Rousseff .

A ideia é captar pequenas doações, a partir de R$ 13, mas em grande escala. O lema é “doe R$ 13 para a Dilma”. O contrato do PT com a Cielo, operadora de cartões de crédito e débito, prevê até 50 mil doações mas a expectativa do partido é mais modesta, cerca de 10 mil.

A coordenação da campanha cogita fazer da primeira-dama, Marisa Letícia, a primeira doadora online da campanha de Dilma, mas ainda não teve resposta. Além disso, o PT negocia com sindicatos simpáticos à candidatura de Dilma, como o dos metalúrgicos do ABC, campanhas para incentivar as doações.

As contribuições poderão ser feitas por meio de uma página criada pela agência Peper, com assessoria dos responsáveis pela campanha on-line do presidente dos EUA, Barack Obama.

“Isso só aconteceu graças à insistência, ao trabalho duro e à persistência. Agora sentimos um sabor de conquista”, disse o tesoureiro da campanha, José de Filippi Júnior, lembrando que outras iniciativas parecidas naufragaram na campanha eleitoral deste ano.

Os doadores poderão escolher entre valores que vão de R$ 13 (o número do partido na Justiça Eleitoral) a R$ 1.000, por meio do site da candidata. Caso o eleitor deseje contribuir com um valor maior, uma janela será aberta na página avisando que a legislação limita as doações eleitorais em 10% da renda anual.

O sistema de pagamento será administrado pela Braspag, do Grupo Silvio Santos, e a operação do sistema de cartões ficará a cargo da Cielo, responsável pelas marcas Visa e Mastercard.

O sistema só foi possível depois da instrução publicada nesta quinta-feira pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinando que os partidos, candidatos e seus comitês financeiros são responsáveis por devolver às operadoras de cartão de crédito valores doados mediante fraude ou erro.

O PT chegou a assinar um documento se comprometendo a devolver valores pagos incorretamente. Além disso, cartões corporativos foram vetados.

O partido registrou um teto de arrecadação de R$ 157 milhões para a eleição de Dilma e conseguiu R$ 11,6 milhões no primeiro mês de campanha oficial.

    Leia tudo sobre: Eleições DilmaPTTSEarrecadação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG