PT anuncia processo contra empresário Rubnei Quícoli

Presidente nacional do partido considera caluniosas declarações de que filho de Erenice pediu dinheiro para a campanha de Dilma

Agência Estado |

O presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, anunciou hoje que o partido moverá ação por calúnia e difamação contra o empresário Rubnei Quícoli por causa das declarações feitas por ele à imprensa de que o filho da ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra pedia propina a empresários para abastecer a campanha presidencial de Dilma Rousseff (PT). O pedido à Justiça envolve também pagamento de indenização à legenda por parte do empresário.

Dutra disse ainda que o PT pedirá à Polícia Federal (PF) a abertura de inquérito para investigar as novas denúncias feitas por Quícoli de que Israel Guerra, filho da ex-ministra, cobrou 5% da EDRB do Brasil Ltda. para conseguir um financiamento de R$ 9 bilhões no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, anunciou ontem que a PF abriu investigação para apurar outras denúncias de tráfico de influência envolvendo Israel reveladas no fim de semana pela revista Veja .

As entrevistas de Rubnei Quícoli nos últimos dias foram, na avaliação do presidente petista, "uma clara tentativa de forjar um envolvimento do PT e da campanha presidencial" com as denúncias de tráfico de influência envolvendo a família de Erenice Guerra. "Desde o inicio da pré-campanha nós sempre dissemos que o PT era responsável por todas as despesas relativas àquele período. O PT tem o presidente e o seu tesoureiro que fala pelo partido a respeito de todas as contribuições de campanha", disse Dutra.

"Não admitimos que ninguém, e principalmente um cidadão com essa folha corrida, venha fazer a tentativa de forjar a participação da campanha e do PT neste episódio", completou Dutra. "Ele, Quícoli, está dizendo que essa cobrança de propina seria para financiamento de campanha, e nós temos absoluta convicção de que isso não existiu."

Segundo denúncia de Quícoli, o ex-diretor dos Correios Marco Antônio Oliveira é quem teria pedido dinheiro para a campanha de Dilma. José Eduardo Dutra disse que se ficar provado que Oliveira estava pedindo dinheiro em nome da campanha, ele também será processado.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG