Em visita ao iG, presidente do PSDB calcula que PT vai eleger três governadores e diz que o ¿PMDB é móvel¿

Na análise do presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), coordenador da campanha do presidenciável tucano, José Serra, o partido deve eleger ao menos oito governadores. Já o PT, segundo Guerra, deve eleger apenas três. Para ele, o PMDB não conta como base aliada petista por ser "móvel".

nullEm visita ao iG , Sérgio Guerra afirmou que a briga entre Serra e sua rival petista, Dilma Rousseff, será acirrada nos Estados. "O PSDB nessa eleição deve eleger oito governadores, em uma aposta conservadora. O PT, três (governadores), em uma aposta normal. O PMDB é do centro móvel", disse. Para Guerra, o PMDB é cada vez mais um partido parlamentar, que não se preocupa com dissidências.

O senador afirma que segundo pesquisas internas, o partido apresenta melhores condições em alguns Estados do que mostram pesquisas recentemente divulgadas, como Ibope, Datafolha e Vox Populi. Ele ressalta, também, que na Paraíba o candidato tucano Cássio Cunha Lima está "sofrendo uma perseguição que nunca ninguém sofreu".

Sérgio Guerra é entrevistado na sede do iG, na capital paulista
Flávio Torres/Fotomídia
Sérgio Guerra é entrevistado na sede do iG, na capital paulista

Leia abaixo o que acha Sérgio Guerra sobre a disputa em cada região do País

Sul

Sérgio Guerra avalia que a candidata tucana à reeleição no Rio Grande do Sul , a governadora Yeda Crusius, reduziu sua rejeição de 50% para menos de 40%. "A eleição no RS será disputada entre PT, que é minoria, e o PMDB, do José Fogaça. Estamos equilibrados nas eleições estaduais e estamos na frente nas presidenciais", disse. No Paraná , o PSDB lider de acordom com as pesquisas internas da legenda, segundo Guerra. Em Santa Catarina , a corrida estadual é liderada por Ângela Amim, do PP, que não declara apoio a nenhum presidenciável. "Mas a base dela nos apoia em grande parte", assegura Guerra.

Sudeste

O Serra está na frente de Dilma em São Paulo , com 7 pontos percentuais de vantagem, segundo pesquisa interna do partido. "Vale tomar nota do tamanho do PT em São Paulo. O Aloizio Mercadante (PT) está com 14%, 16% pontos na pesquisa. É uma tragédia, está ruim pro PT em São Paulo", diz Guerra. De acordo com ele, "pesquisas feitas 10 dias atrás no Rio de Janeiro dão empate técnico". Apesar de o PSDB não ter candidato a governador do Rio, o partido fará uma campanha que começa agora. "O Rio de Janeiro é uma grande interrogação, mas é evidente que estamos melhor no Rio do que estivemos na última eleição para presidente da República", considera. Em Minas Gerais , o candidato tucano Antonio Anastasia (PSDB), que tem cerca de 20% das intenções de voto, reduziu a distância de Hélio Costa (PMDB). "Eu tenho convicção que vamos subir com os debates. Temos mais chances de ganhar que Hélio Costa, que normalmente perde", diz. Guerra acredita que Serra vai crescer junto com Anastasia. "Eu tenho certeza de que o cenário em Minas é a favor da gente."

Centro-Oeste

Segundo Guerra, o PSDB lidera em Goiás . Em Brasília , Serra deverá ter uma grande votação porque o candidato apoiado pelo partido, Joaquim Roriz, lidera na capital federal. "Se ele não durar até lá, Brasília vai estar dividida", ressalva. No Mato Grosso , Guerra admite que a campanha tucana vive uma turbulência. "A campanha está sem financiamento. Nós perdemos à liderança e atribuimos isso à dificuldade que a campanha atravessa", afirma. Já no Mato Grosso do Sul , o senador conta a vitória como certa. "O Serra ganha e nosso aliado do PMDB ganhará também."

Norte

"A gente está liderando com Serra e com o candidato no Pará , que é praticamente a soma dos outros Estados do Norte", calcula. Guerra admite que o PSDB enfrenta um problema grave no Amazonas , que depende de uma solução política, especialmente com relação à Zona Franca de Manaus. "Vamos organizar uma campanha lá porque temos apenas a campanha de Arthur Virgílio, que vai bem", diz. Em Roraima , a vitória também é dada como certa pelo tucano. Já nos Estados menores do Norte "não está ruim para nós, mas não alteram o mapa eleitoral."

Nordeste

Na Bahia , Guerra avalia que o PSDB está "muito melhor" do que na última eleição. Em Sergipe , as eleições estão tecnicamente empatadas, segundo o tucano. Em Alagoas , o PSDB deve ir para o segundo turno. Em Pernambuco , o senador faz uma ressalva. "Há duas versões, uma pesquisa dá 10 pontos de diferença entre Serra e Dilma e a outra dá 30 pontos. A verdade está pelo caminho, entre uma e outra", diz. Na Paraíba , Sérgio Guerra diz que o PSDB "está atrapalhado" porque o candidato forte da legenda, o governador Cássio Cunha Lima, está com problemas com a Justiça Eleitoral. "Ele está sofrendo uma perseguição que nunca ninguém sofreu. Ele é a alavanca da nossa campanha. A Justiça Eleitoral está equivocada no caso do Cássio", afirma. No Rio Grande do Norte , Guerra acredita que a disputa é favorável para o PSDB. No Ceará , o quadro também é positivo já que Tasso Jereissati definiu um candidato a governador "que vai crescer." No Piauí , a vitória do candidato tucano também é dada como certa pelo presidente do partido.

(Colaborou Clarissa Oliveira e Tales Faria)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.