PSDB descarta punição aos que fizeram campanha para Cabral no Rio

Direção nacional faz vista grossa para traição e diz que o importante "é o apoio a Serra"

iG Rio de Janeiro |

O corpo a corpo que a deputada federal Andreia Zito (PSDB) realizou neste domingo (11) junto com o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB) - que tenta a reeleição em oposição aos tucanos -, não renderá punição à parlamentar. Procurado pelo iG , o presidente nacional da legenda, Sérgio Guerra, não retornou às ligações. O secretário-geral da sigla, o deputado federal Rodrigo de Castro, esclareceu que Andreia não será punida. Nem ela nem os outros candidatos tucanos que trocaram Fernando Gabeira (PV), candidato ao governo em aliança com PSDB, DEM e PPS, por Sérgio Cabral.

"É importante e fundamental mostrar que estamos juntos e apoiar ( José ) Serra ( candidato tucano à Presidência )", disse Castro.

Andreia Zito é filha do prefeito de Duque de Caxias, José Camilo Zito, que também é presidente do PSDB no estado. Desde que a coligação "Rio Esperança" foi formada, Zito mostrava descontentamento com a aliança e dizia que iria apoiar Sérgio Cabral. Às vésperas do lançamento da coligação, no mês passado, Zito ameaçou não fechar o acordo. As discussões terminaram horas antes da convenção, no último dia 19.

Na ocasião, Zito lotou o auditório do clube Canto do Rio, em Niterói, na região metropolitana, de militantes de sua base de apoio. Durante seu discurso, não citou Gabeira nem o candidato a vice, Márcio Fortes, que é do seu partido, o PSDB.

Uma conversa basta

De acordo com o secretário-geral do PSDB, Rodrigo de Castro, embora não seja punida, Adreia Zito será chamada para conversar. "Há uma recomendação para que todos estejam no palanque do Gabeira, já que não temos coligação ( candidato próprio ) no Rio", acrescentou.

A manifestação de apoio a Cabral feita por Andreia e Zito, no entanto, provocou um mal-estar entre os tucanos. O presidente do partido na capital, deputado Luiz Paulo Corrêa da Rocha, afirmou que a iniciativa da deputada não irá influenciar a postura do PSDB. "O Cabral quer propositadamente trazer problemas, mas vamos continuar firmes na candidatura do Gabeira e do Serra", falou.

O candidato a vice na chapa de Gabeira, o tucano Márcio Fortes, não atendeu as ligações do iG para comentar a questão. Fernando Gabeira (PV), por sua vez, garantiu que não se abalou com a presença de companheiros de chapa na caminhada com Sérgio Cabral, e citou sua campanha para a Prefeitura do Rio, em 2008. "A princípio não tive o apoio, mas na medida em que a campanha vai crescendo, os apoios surgem", afirmou Gabeira.

    Leia tudo sobre: CabralGabeiraPMDBPSDB

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG