Procuradora diz que foi ameaçada de morte em blog de Garotinho

Silvana Batini afirma que PF vai investigar a mensagem de que ela "poderia ser baleada e morta" em eventual assalto

Flávia Salme, iG Rio de Janeiro |

Ao fim do julgamento que manteve a inelegibilidade do ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, e a cassação do mandato da prefeita de Campos dos Goytacazes ( Norte Fluminense ), Rosinha Garotinho, a procuradora regional eleitoral Silvana Batini afirmou em plenário ter sido ameaçada de morte em um comentário postado no blog mantido por Garotinho.

Silvana Batini é a responsável pelo pedido de inelegibilidade de Garotinho, que o impede de concorrer ao governo do Rio. Neste domingo, o Partido Republicano o lançou como candidato. “Esperei o fim da sessão para não influenciar o julgamento, mas um cidadão postou um comentário de que se eu continuasse agindo dessa ou daquela forma, poderia ter meu telefone grampeado, ser seguida na rua, sofrer um assalto e, por resistir aos assaltantes, poderia ser baleada e morta”, afirmou Silvana Batini, no plenário.

“Não sei se foi mau gosto, ironia ou sarcasmo, mas essas declarações vão ser investigadas pela Polícia Federal”, completou a procuradora.

Batini afirmou não acreditar que esse tipo de manifestação tenha sido feita por Garotinho ou alguma outra liderança política ligada a ele. “Mas quem mantém o blog tem algumas responsabilidades e ônus. Não me espantou só o teor do comentário, mas o tempo que permaneceu no ar. Foi postado dia 15 de junho e até o dia 23 estava lá.”

Para a procuradora, os donos de blog têm a obrigação de moderar os comentários para impedir que esses espaços sejam usados para a prática de crime. Ela alertou os advogados presentes no tribunal que orientem seus clientes sobre o problema.

“Foi um comentário infeliz e vou orientar Garotinho e os responsáveis pelo blog a redobrar o cuidado”, disse Jonas Lopes Neto, advogado do ex-governador.

Após a denúncia, Garotinho incumbiu o moderador do blog, Luis Filipe Melo, de esclarecer a polêmica. Embora tenha reconhecido que o comentário postado pelo leitor leitor Pedro Cunha tenha sido uma "ironia, de mau gosto, com certeza, inapropriada", Luis Filipe afirmou que "jamais foi feita qualquer ameaça a quem quer que seja, nem Garotinho admitiria usar o blog para intimidar a procuradora".

Segundo Luis Filipe, o leitor se referia à notícia de que a procuradora abrira um procedimento para investigar se o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), que concorre à reeleição, estaria usando a máquina pública para favorecer sua campanha e fazer propagranda antecipada. "O comentário do leitor está claro que é uma ironia, não uma ameaça, mas de qualquer forma foi infeliz", escreveu Melo.

Garotinho reproduziu o comentário denunciado pela procuradora Silvana Baitini. A mensagem publicada dizia: "Esta procuradora será brevemente demitida do serviço público por arrogância e inconformidade administrativa. Onde já se viu uma simples procuradora fazer algo contra o governador Sérgio Cabral sem pedir autorização prévia para seus superiores? (...) Tenho certeza de que os telefones dela serão grampeados, seu carro será seguido pela turma do Chico Bala. (...) E se seu relatório não isentar o intocável e probo governador Cabral... ( ela ) será assaltada em uma rua escura e, por resistir ao assalto, baleada e morta".

Garotinho vai recorrer ao TSE

Após o julgamento que manteve Anthony Garotinho inelegível até 2011, o advogado Jonas Lopes Neto informou que vai recorrer ainda hoje ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O objetivo é conseguir uma liminar que suspenda a inelegibilidade até o julgamento do mérito da ação, no próprio TSE e, com isso, permita Garotinho registrar sua candidatura ao governo do Rio até 5 de julho, data final.

“Esperamos conseguir a liminar hoje ou amanhã (nesta terça-feira). O objetivo é registrar a candidatura no prazo. Estamos confiantes no TSE”, disse Jonas Lopes Neto.

A advogada de Rosinha Matheus, Rosely Pessanha, apresentou recurso especial no TRE-RJ para suspender a decisão que determinou o afastamento imediato da prefeita do cargo. “Vou tentar despachar com Nametala Jorge, presidente do TRE, ainda hoje. Se não conseguir, vou ao TSE.”

Por fim, a defesa do deputado federal Arnaldo Vianna (PDT-RJ) – que perdeu as eleições em Campos para Rosinha e ficou inelegível por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação – também vai recorrer ao TSE.

Protestos

O julgamento de Garotinho, Rosinha e Vianna começou às 9h no plenário do TRE-RJ, no centro do Rio. Militantes da Juventude do PR protestaram à porta com carros de som, vuvuzelas e cartazes com palavras de apoio a Garotinho. O grupo chegou a interromper o trânsito na Avenida Presidente Wilson, próximo ao consulado dos Estados Unidos e à Academia Brasileira de Letras.

A PM interveio e retirou os manifestantes da pista. Os manifestantes ficaram dando voltas no centro do Rio.

    Leia tudo sobre: GarotinhoTRERosinhainelegível

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG