Presidente do TRE-SP: Atuação de Lula na eleição foi 'excessiva'

O desembargador Walter de Almeida Guilherme defendeu a reforma na legislação eleitoral para que se evite este tipo de situação

Daniela Almeida, iG São Paulo |

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), Walter de Almeida Guilherme, classificou de “excessiva” a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições.

O desembargador voltou a defender a reforma na legislação eleitoral para que se evite este tipo de situação. “Eu achei que foi excessiva, mas ele não fugiu do regramento legal. Foi dentro dos limites, a lei foi aplicada. Agora, precisa ver se a lei está cumprindo seu papel efetivamente”.

Almeida Guilherme citou ainda o caso da candidatura de Tiririca (PR) a deputado federal. Segundo o presidente, a candidatura dele leva a um desequilíbrio do jogo democrático devido à exposição excessiva de um personagem construído. “Foi um produto de marketing. Um produto engendrado para vencer a eleição, mas é da democracia”, afirmou.

Segundo o desembargador, ele já foi questionado por legendas que receiam este tipo de candidatura em novas eleições. “É preciso encontrar um meio termo não há como impedir. O povo também é constituído de Tiriricas”, disse.

Com 99,9% das urnas apuradas, o desembargador oficializou o resultado em São Paulo. Ele avaliou como “normal” o nível de abstenção no Estado (19,15%). No primeiro turno, esse índice ficou em 16%. Questionado se o feriado teria influenciado o número de eleitores que não votaram, ele afirmou que é “tradicional” que a abstenção no segundo turno seja maior do que a do primeiro turno e que o resultado de São Paulo ficou próximo do resultado nacional, que é de aproximadamente 21,45%.

    Leia tudo sobre: eleições spTRE-SP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG