Presidente do PT minimiza declaração de Lula sobre o DEM

Coordenador da campanha de Dilma Rousseff, José Eduardo Dutra, classificou como questionável o termo usado pelo presidente

Ricardo Galhardo, enviado a Minas Gerais |

O presidente nacional do PT e coordenador da campanha de Dilma Rousseff à Presidência, José Eduardo Dutra, classificou como questionável o termo “extirpar” usado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em relação ao DEM. Dutra, no entanto, defendeu o presidente argumentando que Lula estava em um comício, na condição de cidadão e militante petista. O presidente do PT não escondeu a insatisfação quanto à nota distribuída ontem pela Casa Civil na qual o adversário José Serra é chamado de “derrotado”.

Agência Estado
José Eduardo Dutra, durante entrevista coletiva sobre as providencias que o partido tomará contra as acusações feitas pelo programa de José Serra
“O presidente Lula estava em um comício. Você pode até questionar a palavra que foi usada mas foi no sentido de conclamar o povo a, nas urnas, derrotar o DEM. Tem que ver o contexto, foi num comício, não foi nenhuma manobra palaciana, clandestina”, disse Dutra. “O presidente Lula é militante de um partido que atua dentro da legalidade, é um cidadão e, sem prejuízo da sua atividade como presidente, tem o direito de fazer campanha para sua candidata. A fala do Lula foi no sentido de tirar o DEM nas urnas e não de uma forma golpista como estava sendo feito em 2005 pelo DEM”, completou.

Questionado sobre as denúncias envolvendo a ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, e seus parentes, Dutra disse que o governo já tomou providências para investigar as ligações do filho dela, Israel Guerra, com empresários e que até agora não existem indícios de participação direta da ministra.

O presidente do PT evitou comentar a nota na qual Erenice chama Serra de “derrotado” mas não escondeu o desconforto. “Prefiro não comentar esta parte. O que nós temos dito sempre na campanha é que não há decisão ainda. O que tem é intenção de voto. Ninguém tem um voto ainda. Não concordo com qualquer manifestação de pessoas do governo, do partido ou da nossa aliança que procurem passar uma imagem de já ganhou. Essa orientação já foi passada várias vezes para a própria candidata”, afirmou.

Quanto às declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso que, em entrevista a um site ligado à campanha de Serra acusou Lula de agir como “chefe de facção” e comparou o presidente ao ditador italiano Benito Mussolini, Dutra foi irônico. “Os aliados do Serra não mostram ele na propaganda eleitoral, têm vergonha dele. Então, é natural uma pessoa que sofre síndrome de abandono quando tem a oportunidade de falar, falar bobagem”.

    Leia tudo sobre: Eleições Dilmaeleições Serrapleito 2010LulaFHC

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG