Presidente da CNT lança movimento pró-Hélio Costa e Aécio Neves

Depois do 'Dilmásia', 'Helécio' toma forma em Minas Gerais com direito a comitê de campanha, que foi inaugurado nesta segunda-feir

Eduardo Ferrari, iG Minas Gerais |

Mais um movimento suprapartidário surge em Minas Gerais. Depois do “Dilmásia” e do “Pimentécio”, foi inaugurado na tarde desta segunda-feira (9) o comitê "Helécio". O para o Senado foi idealizado pelo presidente da Confederação Nacional dos Transportes (CNT), Clésio Andrade (PR), que foi vice-governador no primeiro mandato de Aécio Neves no Estado.

Eduardo Ferrari, iG Minas Gerais
Movimento de apoio às candidaturas de Hélio Costa (PMDB) e Aécio Neves (PSDB)
Indagado sobre o assunto, Aécio disse que é contra o movimento e que não aprova a abertura do comitê. Independente das declarações do candidato, Clésio Andrade já avisou que pretende abrir, ao todo, 50 comitês do movimento pelo Estado. O movimento "Helécio" contraria até mesmo o partido político ao qual Andrade é filiado.

Em Minas, o diretório estadual do PR decidiu pela coligação com o PSDB, enquanto Clésio defendia a aliança com PMDB e PT, já que ele chegou a ser cotado para a vaga de suplente da corrida do petista Fernando Pimentel ao Senado.

O PSDB mineiro também já reclamou da iniciativa, bem como a coligação formada por 12 partidos que apóiam à reeleição de Anastasia. Clésio Andrade acabou não se candidatando a nenhum cargo político nestas eleições.

Em nota, Clésio Andrade defende que “o Helécio” é um movimento de base que reúne pessoas que comungam de seu pensamento". "Exerce seu direito constitucional de livre manifestação assegurado a todo e qualquer cidadão brasileiro”, informa.

Inauguração

Embora Clésio tivesse garantido que a inauguração do comitê Helécio iria contar com a presença de políticos de prestígio no Estado, o evento ocorrido na zona sul de Belo Horizonte, por volta das 17 horas, teve um público de pouco mais de 50 pessoas sem a presença de nenhum candidato importante.

Sem o apoio oficial das coligações partidárias dos candidatos para os quais pede voto, o comitê Helécio é um espaço diferente dos comitês tradicionais. Não há qualquer material de campanha e a única identificação do local é uma placa que une o nome de Hélio Costa e Aécio Neves. Ainda assim, Clésio afirma que irá inaugurar 50 comitês Helécio em todo o Estado.

Minas já conta com 'Dilmasia' e 'Pimentécio'

A corrida eleitoral no Estado já registra movimentos batizados de "Dilmasia" - em apoio ao tucano Antônio Anastasia e da petista Dilma Rousseff - e "Pimentécio" - a favor do Fernando Pimentel (PT) e Aécio Neves (PSDB) para as duas vagas do Senado. Embora já tenham caído no conhecimento público, nenhum dos dois movimentos chegou a ter comitê de campanha.

Apresentados como movimentos suprapartidários "Dilmasia", "Pimentécio" e "Helécio" remetem ao "Lulécio", que ficou famoso na política mineira em 2002 e 2006, ao pedir votos para Lula e Aécio, cujos partidos, PT e PSDB, rivalizam nas disputas. Ambos foram eleitos com a maioria dos votos no Estado.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG