PMDB e DEM fecham aliança em Santa Catarina

Pinho Moreira volta atrás e anuncia que será vice do candidato do Democratas, Raimundo Colombo; tríplice aliança volta à berlinda

Gabriel Costa, iG Brasília |

O pré-candidato do Democratas ao governo de Santa Catarina, Raimundo Colombo, e o presidente estadual do PMDB, Eduardo Pinho Moreira, anunicaram na manhã desta segunda-feira que fecharam acordo para uma chapa conjunta no estado, com o peemedebista na posição de vice do senador do DEM. A decisão dá novo fôlego à recomposição da chamada tríplice aliança dos dois partidos mais o PSDB do atual governador do estado, Leonel Pavan.

O anúncio foi feito na Assembleia Legislativa catarinense, em entrevista coletiva que havia sido marcada, inicialmente, para tratar do apoio do PTB ao Democratas. "Depois das convenções nacionais do fim de semana, um de nós tinha que renunciar", disse Moreira na coletiva, "Recuei para colocar meu nome no novo projeto".

O ex-governador peemedebista Luiz Henrique Silveira, eleito e reeleito pela coligação dos três partidos, em 2002 e 2006, também esteve presente e deve ser um dos candidatos ao Senado pela chapa. A outra vaga fica com Paulo Bauer, do PSDB, ou com o próprio Pavan. A conversa que levou à concretização da aliança aconteceu ontem à noite, na casa de Moreira, em Florianópolis, e continuou na manhã de hoje.

Moreira e Colombo agora devem conversar com o governador, que declarou no início do mês, após encontro dos três com o candidato tucano à Presidência, José Serra, que abriria mão de sua candidatura à reeleição em prol da tríplice aliança, se um dos outros dois fizesse o mesmo. “O que eu gostaria mesmo é que os três estivessem juntos. Nessa história, sabemos que a indefinição não é do PSDB”, disse Pavan na ocasião.

Desde então, os diversos encontros infrutíferos entre os pré-candidatos dos três partidos levaram tanto Pavan quanto Moreira a consolidarem os planos de candidaturas próprias em reuniões de articulação com nomes como o do deputado Michel Temer, presidente nacional do PMDB e vice da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff; a própria presidenciável petista e a senadora Ideli Salvatti, também pré-candidata, pelo PT, à Casa D'Agronômica, residência oficial do governador de Santa Catarina.

Moreira chegou a afirmar diversas vezes que sua candidatura era "irreversível" e "inarredável", e ficou irritado quando Pavan, em encontro de ambos na semana passada, convidou-o para ser seu vice. "Não sei onde buscam as mentiras de que eu cederia a cabeça de chapa para o governo do Estado. Qual uma razão apenas para tal?", escreveu em seu Twitter no dia da reunião.

A articulação de tucanos, peemedebistas e Democratas abre as portas para uma aliança entre o PT de Ideli Salvatti e o PP da deputada federal Ângela Amin já no primeiro turno. A aliança cria para José Serra um palanque único no estado, como era desejado pelo PSDB.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG