PMDB baiano aciona governo por proibição de dados da SSP

Adversários do PMDB entraram ontem com uma denúncia no Ministério Público Estadual (MP-BA) contra o governador Jaques Wagner

Lucas Esteves, iG Bahia |

A determinação de não emitir mais dados oficiais da Segurança Pública da Bahia, desmentida oficialmente pelo governo estadual, ainda dá pano para manga. Ao menos para os adversários do PMDB, que entraram ontem com uma denúncia no Ministério Público Estadual (MP-BA) contra o governador Jaques Wagner, candidato à reeleição, acusando o petista de “uma série de irreguaridades” no episódio.

Segundo o partido, o governo tentou proibir a emissão de dados públicos à sociedade, o que é proibido, e assim blindar a figura do governador, que enfrenta aumento notável do número de assassinatos no Estado e das estatísticas de crimes em geral. O documento pede a investigação da responsabilidade de Wagner no caso citando a garantia constitucional da liberdade de informação e também uma auditoria das estatísticas da Secretaria de Segurança Pública para verificar a veracidade das informações do ano de 2010.

O presidente do partido na Bahia, Lúcio Vieira Lima, considera que a volta atrás dada pelo governo não necessariamente encerra a questão. “Eles só desistiram porque houve reação e protesto. Ou seja, se não houvesse a reação, eles manteriam a medida. É uma tentativa de enfraquecer a imprensa e também a opinião pública. A mesma prática que o ex-ministro Rubens Ricupero adotou em 1994”, ressaltou.

O dirigente se referiu a uma declaração célebre que data de 1994. Na ocasião, o então ministro da Fazenda declarou ao jornalista Carlos Monforte, então na Rede Globo, que “o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde”. A gravação, vazada, provocou o desgaste de Ricupero e sua consequente renúncia ao cargo.

    Leia tudo sobre: jaques wagnerpmdbpt

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG