PMDB baiano aciona adversários por propaganda antecipada

Em representação no Ministério Público Estadual contra DEM e PT, pede providências da Justiça Eleitoral

Lucas Esteves, iG Bahia |

O PMDB baiano entrou nesta segunda-feira (21) com uma representação no Ministério Público Estadual contra DEM e PT pedindo providências da Justiça Eleitoral quanto a acusações de suposta campanha eleitoral antecipada. O partido, que busca eleger Geddel Vieira Lima ao governo do Estado, acusa os adversários por causa de uma peça publicitária na TV e de faixas afixadas em uma cidade do sudoeste da Bahia.

A acusação mais incisiva é contra o candidato do DEM ao governo, Paulo Souto. Em propaganda partidária gratuita exibida no último dia 22 de maio, o ex-governador relatou queixas da população relacionadas à segurança pública e falou dos prejuízos que a violência traz ao turismo local. No final do texto, ele daria, segundo o PMDB, a entender que seu retorno ao cargo hoje ocupado pelo petista Jaques Wagner seria a solução para o problema. Até mesmo o lema da campanha do DEM, "A Bahia pode mais", foi usado na propaganda, segundo a denúncia.

Já os petistas teriam promovido o nome de Wagner por meio de uma série de faixas com o nome do governador e do deputado estadual João Evilásio Bonfim (PT) penduradas em diversas ruas da cidade de Brumado. A alegação peemedebista é de que a onipresença das faixas incute o nome do governador subliminarmente no imaginário do eleitorado. O deputado também faz parte da ação de propaganda antecipada.

O partido solicita que o DEM seja multado em R$ 5 mil pela propaganda na TV e que o PT seja obrigado a retirar imediatamente as faixas das ruas de Brumado. Caso não o faça, seria multado em R$ 1 mil por dia de descumprimento da medida. A Justiça Eleitoral veda a campanha oficial dos candidatos até o dia 6 de julho.

    Leia tudo sobre: PMDBBahiaEleições 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG