Plínio promete reforma agrária 'sem pedir licença'

Caso eleito, candidato do PSOL se compromete a convocar plebiscito para determinar limite de propriedades rurais no País

Agência Estado

selo

Agência Estado
Plínio, que apoia plebiscito sobre limite de propriedade
Duas semanas depois de cobrar de seus adversários na corrida presidencial apoio a documento favorável à reforma agrária, o candidato do PSOL à Presidência, Plínio de Arruda Sampaio , assinou hoje carta do Fórum Nacional pela Reforma Agrária. A proposta que contou com a adesão formal de Plínio prevê a realização de plebiscito para o estabelecimento de limites para o tamanho da propriedade da terra no Brasil.

"Só com a pressão do povo brasileiro é que a burguesia cederá à reforma agrária", disse Plínio, que prometeu fazer reforma agrária "sem pedir licença para ninguém", caso seja eleito presidente da República. "Vamos ocupar a terra".

Plínio, que passou a tarde de hoje em Brasília, voltou a criticar o agronegócio. "Hoje existem 5,5 milhões de fazendas no Brasil, das quais 1% delas, ou seja, 55 mil, tem 44% da terra", afirmou o candidato do PSOL, que também gravou participação em um programa de TV. "Vamos brigar com pouco mais de 50 mil pessoas, que têm verdadeiros impérios que são escandalosos", avaliou.

Para Plínio, a falta da reforma agrária é um dos fatores determinantes para a pobreza e a violência nas grandes cidades. "No campo é que começa a pobreza, que depois muda para a cidade". Segundo o candidato, "aquele pobre que dorme na rua foi um agricultor expulso do campo". "Ele fica sem dinheiro na cidade e os menos conformados vão para o crime", completou.

Um dos fundadores do PT, Plínio foi o responsável pela elaboração do programa de reforma agrária apresentando pelo então candidato à Presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002. Na época, a proposta de Plínio sofreu alterações feitas pela campanha petista, como a redução da meta de assentamentos. "Fico triste de ver um governo que chegou lá se render a interesses baixos e escusos", afirmou Plínio, ao criticar a política agrária do governo Lula.


    Leia tudo sobre: plínioreforma agrária

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG