Plínio diz que debate entre candidatos 'foi um sucesso'

Sobre declaração de de Roberto Jefferson (PTB), que disse votar no candidato do PSOL, Plínio disse que acredita na "conversão"

Agência Estado |

selo

Já passava de duas horas da manhã quando o socialista Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) chegou ao tradicional restaurante Nova Capela, no boêmio bairro da Lapa, no Rio de Janeiro, após o debate entre os presidenciáveis da TV Globo. Acompanhado de três dos seis filhos e duas netas, além da mulher Marieta Arruda Sampaio, e da equipe de campanha, o candidato pediu um vinho para relaxar.

"Ele não bebe cerveja, nem caipirinha, só vinho chileno", disse um assessor. Para o candidato, o debate "foi um sucesso".

Mais velho dos candidatos à Presidência, Plínio teve atitude diferente de seus adversários, que preferiram descansar - caso de Marina Silva (PV) e Dilma Rousseff (PT) -, e de José Serra (PSDB), que deixou a capital fluminense logo após o debate. "Nós comemoramos porque estamos alegres", disse o candidato, hoje, em restaurante à beira da praia, no Arpoador, em almoço com a família.

"Saímos do restaurante por volta das 4 horas. Eu gosto da noite, sou um cara noturno. Acho que (o debate) foi um sucesso", afirmou Plínio, que pela manhã cancelou caminhada que faria pelas ruas do centro do Rio. "Ele já é um senhor, precisou descansar", disse um assessor regional do partido. Plínio tem 80 anos.

À tarde, bem disposto e sorridente, o candidato só mostrou tom mais sério ao comentar o apoio do deputado Roberto Jefferson (PTB), que nesta sexta-feira declinou do apoio ao tucano José Serra e declarou voto no candidato do PSOL: "Sou um homem cristão e acredito na conversão das pessoas. As pessoas se arrependem e se convertem", afirmou.

Apresentando menos de 1% das intenções de voto, segundo institutos de pesquisa, Plínio afirma que sua campanha teve um "resultado excepcional", mas foi ignorada pela imprensa. "Ignorada totalmente. Tudo que sai na imprensa escrita é negativa. Não sai uma única coisa positiva. Impossível. Nas fotos, os três (Dilma, Serra e Marina). As charges, os três. Os colunistas, os três", disse.

Contudo, segundo o socialista, sua campanha conseguiu chamar atenção para suas propostas. "Com um partido novo, que não está estruturado em todo o País. Temos Estados que não temos nem diretório. Você está vendo na rua. Tem gente que vem me cumprimentar nas ruas. O povo me acena, me dá apoio", analisou Plínio, que após almoço com a família descansou, para à tarde cumprir agenda de campanha, pelas ruas do centro da cidade.

A expectativa de Plínio é deixar o Rio de Janeiro neste sábado pela manhã, com destino a São Paulo, onde, às 11 horas, deve fazer uma caminhada pelas ruas do centro.

    Leia tudo sobre: pleito 2010plinioroberto jefferson

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG