Plínio admite que estava mais 'calmo' em último debate

Candidato do PSOL opinou que "está pintando" o segundo turno, mas não revelou quem apoiaria

iG Rio de Janeiro |

Depois de ter um desempenho menos animado no debate da TV Globo do que em encontros anteriores – quando fora novidade e surpreendera pela ironia -, o candidato do PSOL à Presidência da República, Plínio de Arruda Sampaio, disse que nesta quinta já “estava calmo”.

Para ele, “está pintando o segundo turno” nas eleições. Plínio não adiantou, porém, quem poderia apoiar. “Aliança pode ser feita com quem permitir que você ande e progrida”.

 O candidato do PSOL afirmou que seu papel no embate eleitoral é “dizer o que a burguesia não quer que ouçam” e pôr minhoca na cabeça das pessoas. “É o sujeito saber que não precisa trabalhar tanto, como burro de carga. Não é para ser dito que precisa ter 10% do PIB para educação e que casa vazia deve ser ocupada por quem vive em lugar de risco, por exemplo”, disse.

    Leia tudo sobre: pleito 2010eleições pliniodebate globo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG