Pimentel diz que intervenção de Lula não prejudicou eleição em MG

Para ex-prefeito derrotado nas urnas, o PT mineiro deve agora se concentrar na campanha de Dilma no segundo turno

Eduardo Ferrari, iG Minas Gerais |

O ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel (PT), candidato derrotado ao Senado por Minas Gerais, afirmou, na manhã desta segunda-feira (04), que a posição política do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não atrapalhou o resultado da eleição no estado. O PT mineiro perdeu as três vagas da chapa majoritária para a coligação tucana. Aécio Neves (PSDB) e Itamar Franco (PPS) foram eleitos para o Senado e Antônio Anastasia (PSDB) também foi eleito, ainda no primeiro turno, para o governo do estado.

Pimentel evitou apontar culpados na derrota do PT em Minas e não responsabilizou a pressão do presidente Lula para consolidar a candidatura de Hélio Costa pelo fracasso da chapa que uniu o peemedebista a Patrus Ananias (PT). ''Não houve intervenção em Minas, o presidente tem uma posição política conhecida no Brasil inteiro. Isso não atrapalhou em nada, porque o resultado reflete a posição do eleitor'', afirmou.

Na época da composição das chapas, o próprio Fernando Pimentel e Patrus Ananias eram os favoritos da Executiva Estadual do PT para disputar a vaga no governo contra Antonio Anastasia. Os dois abriram mão da cabeça de chapa depois das pressões do presidente, que precisava garantir o apoio do PMDB no plano nacional.

Pimentel também evitou comentar as declarações de Ananias, que o responsabilizou pela derrota do governo no estado. Quando a campanha de Hélio Costa chegou ao fim, já com pouco fôlego, Ananias disse que o PT ficou fragilizado depois da eleição de 2008, quando Pimentel se aliou a Aécio Neves para eleger Marcio Lacerda (PSB) à prefeitura. ''Eu não vou fazer nenhum comentário sobre essa declaração. Ele fez uma declaração fora de tempo, imagino que esteja reavaliando isso, vamos aguardar que ele se manifeste de novo''.

Hélio Costa e Patrus Ananias evitaram falar com a imprensa desde derrota de sua legenda em Minas. O peemedebista divulgou apenas uma nota onde agradeceu a votação dos “que confiaram em seu projeto político” e que, agora, irá trabalhar pela eleição da candidata à Presidência, Dilma Rousseff (PT). Ananias chegou a convocar toda a imprensa ainda no domingo (03) para uma entrevista coletiva na sede do PT mineiro, em Belo Horizonte, para esta segunda-feira (04), mas depois cancelou o evento informando apenas divulgou uma nota sobre o resultado das eleições.

Petista evita falar sobre futuro político seu e do partido em Minas

Pimentel disse que o PT mineiro agora vai se empenhar na eleição de Dilma Rousseff. O candidato derrotado, que é um dos coordenadores da campanha da candidata no estado, desconversou sobre a possibilidade de assumir um ministério, caso a petista seja eleita. ''Temos um segundo turno pela frente, de maneira que ninguém está falando de ministério'', afirmou.

Pimentel disse ainda que não está preocupado com a ofensiva de Aécio Neves em favor de José Serra no segundo turno, agora que o ex-governador está liberado da campanha estadual. ''Nós temos dois candidatos. A candidata Dilma, mineira, com uma bela trajetória na vida pública, e José Serra, paulista, também com uma trajetória respeitada. Eu acho que Minas Gerais vai votar em Dilma, até porque, já votou, Dilma ganhou a eleição em Minas, com mais de um milhão e meio de votos de vantagem sobre o Serra''.

    Leia tudo sobre: Eleições MG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG