PF reprime propaganda irregular

Polícia Federal do Amazonas põe duas equipes à disposição do Tribunal Regional Eleitoral

Menezes y Morais, iG Brasília |

A Polícia Federal (PF) do Amazonas reforça a partir desta terça-feira as ações de fiscalização da propaganda eleitoral irregular no Estado. A decisão atende a solicitação da desembargadora Graça Pessoa Figueiredo, presidenta do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que se reuniu na tarde de ontem com o superintendente da PF, Sérgio Fontes.

Também participaram do encontro os juízes eleitorais de Manaus. “O apoio foi solicitado durante a reunião e o Dr. Sérgio Fontes prontamente nos atendeu,” revelou a desembargadora. Fontes garantiu que a partir de hoje a PF põe a disposição do TRE uma equipe nos fins de semana e outra para cada juiz eleitoral.

Ainda de acordo com a presidenta do TRE outras ações também foram discutidas com relação à propaganda eleitoral irregular. Os juízes asseguraram que as medidas serão intensificadas. Um dos pontos que receberão atenção especial do TRE é com relação à comitiva que acompanha candidatos no dia 3 de outubro.

O TRE solicita aos candidatos para que “evitem aglomerados e carros em excesso, pois pode se caracterizar como comício e carreata. Em outras eleições ocorreram problemas desse tipo, e vamos evitar que eles se repitam," disse Graça Pessoa Figueiredo.

Carros guinchados

Também a partir de hoje o TRE intensifica a fiscalização nos cultos religiosos, que são acompanhados por representantes da comissão de fiscalização, para coibir qualquer tipo de propaganda eleitoral irregular. No dia das eleições carros envelopados e com propaganda estacionados em frente de escolas serão guinchados.

Carros adesivados com a metragem acima de 4m2 serão “rigorosamente fiscalizados e só serão liberados depois de retirada a propaganda (adesivagem) irregular.” Os juízes da Propaganda Eleitoral, Carlos Zamith, Anagaly Marcon e Marcos Maciel informaram que as Secretarias de Estado também são fiscalizadas pela Justiça Federal.

De acordo com os juizes, algumas dessas Secretarias anunciam encontros administrativos, "mas na verdade a finalidade é falar sobre eleição." A desembargadora Graça Pessoa Figueiredo reafirma que o TRE não permite quaisquer irregularidades. E defende “eleições limpas” e o “voto consciente”.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG