PF prende médica acusada de realizar consultas em troca de votos

Na residência, foram apreendidos medicamentos com venda proibida, santinhos e títulos de eleitores

Wilson Lima, iG Maranhão |

A Polícia Federal prendeu hoje, em flagrante, uma médica suspeita de realizar consultas médicas possivelmente em troca de votos para os candidatos Roseana Sarney (PMDB), ao governo do Estado; Ricardo Murad (PMDB) e Manoel Ribeiro (PTB), à Assembléia Legislativa e Luciano Moreira (PMDB), à Câmara Federal. A prisão ocorreu no bairro Recanto dos Vinhais, na zona nobre de São Luís.

Segundo informações da Polícia Federal, além da médica, foram presas em flagrante a proprietária da residência onde possivelmente estavam sendo realizadas as consultas e uma paciente que estava sendo atendida.

Na residência, foram encontradas guias de consulta, panfletos de dois candidatos (os chamados santinhos), medicamentos de uso exclusivo hospitalar e títulos eleitores. Com a proprietária da residência, também foram encontradas duas carteiras de trabalho, com fotos e dois títulos de eleitor.

A casa onde ocorreu o flagrante tinha vários cartazes dos colados nos muros e paredes, conforme dados da Polícia Federal. A operação foi realizada a partir de denúncia do Ministério Público. A Polícia Federal ainda não divulgou os nomes das pessoas presas.

Defesa
O advogado da médica, Charles Dias, negou que ela estivesse cometendo crime eleitoral. Segundo ele, a médica estava realizando trabalhos sociais na comunidade. De acordo com o advogado, esse trabalho era realizado há vários anos no bairro Recanto dos Vinhais, onde ela foi presa. “Ela atendia principalmente crianças carentes”, justificou Dias. A médica também é funcionaria pública e realiza atendimentos na rede municipal de Saúde de São Luís.

Em operação realizada hoje a tarde, três pessoas foram presas. Entre essas pessoas presas, estavam a médica, uma paciente e a proprietária da casa onde possivelmente ocorriam as consultas. Títulos de eleitores, e material de campanha de dois candidatos à Assembléia Legislativa do Estado, um à Câmara Federal e da governadora Roseana Sarney (PMDB) foram apreendidos no local onde eram realizadas essas consultas.

Os advogados da coligação “O Maranhão pode parar” também negaram que Roseana, os candidatos a deputado estadual e federal tivessem algum envolvimento em crimes de capitação ilícita de sufrágio. As pessoas presas devem permanecer à noite na sede da Polícia Federal do Maranhão.

    Leia tudo sobre: eleições majustiçadenúncia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG