Petistas reclamam de suposto privilégio de Serra na Globo

Pelo Twitter, lideranças do PT dizem que o candidato tucano foi menos pressionado que Dilma na entrevista ao Jornal Nacional

Nara Alves, iG São Paulo |

Minutos após o término da entrevista concedida por José Serra (PSDB) ao Jornal Nacional, aliados e adversários comentavam, pelo Twitter, o desempenho do tucano diante dos apresentadores Willian Bonner e Fátima Bernardes.

Aliados elogiavam a postura do candidato, como do deputado ACM Neto, que publicou: “Serra foi muito bem no JN, deu de goleada na Dilma. Não queremos um presidente que anda na garupa!”

Petistas, no entanto, manifestaram revolta em relação a um suposto privilégio recebido por Serra em relação aos adversários, alvo de perguntas duras dos entrevistadores – Dilma Rousseff foi questionada sobre as alianças do partido com antigos inimigos, e Marina Silva (PV) teve que responder sobre uma suposta omissão no governo Lula durante a crise do mensalão.

O ex-presidente petista e candidato a deputado Ricardo Berzoini provocou os apresentadores. "O Bonner esqueceu de perguntar se o Serra sente falta do Arruda na campanha e se ele fica confortável no palanque com a Yeda", disse. Berzoini também cutucou o diretor da TV Globo Ali Kamel. "Até o FHC ficou constrangido com o comportamento do casal 45 do JN. Só faltou convidar o Serra para jantar na casa deles. Ou na do Kamel".

O senador Delcídio Amaral (PT-MS) classificou a entrevista no Jornal Nacional de "gentileza" com Serra. "Admirável as gentilezas com o candidado de oposição, na entrevista de hoje", disse.

O ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, acusado de ser o operador do mensalão no partido, também postou críticas a Serra no Twitter. "Serra diz que veio de origem humilde, pobre, escola pública.... daqui a pouco ele diz que nasceu em Garanhus e sua mãe chama Dona Lindú. #JN", encaminhou Delúbio.

    Leia tudo sobre: Eleições Serra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG