Perillo rechaça CPMF e defende que Dilma faça reformas

Governador eleito de Goiás pede reforma tributária em evento promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo

Agência Estado |

O governador eleito de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), aproveitou o evento promovido hoje pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na capital paulista, para defender a reforma tributária e rechaçar o retorno da CPMF. Para o governador tucano, que atualmente cumpre mandato de senador e vice-presidente da Casa, a presidente eleita, Dilma Rousseff (PT), terá força política para fazer as reformas necessárias já no início de seu governo.

"A presidente Dilma tem a faca e o queijo nas mãos para fazer agora um grande consenso nacional, costurar a reforma tributária possível e, já no primeiro dia, encaminhar um projeto ao Congresso Nacional", avaliou o governador durante a convenção.

Para Perillo, Dilma pode aproveitar seu prestígio político para buscar o entendimento com governadores e empresários sobre a questão. O tucano lembrou que o País tem uma das cargas tributárias mais pesadas do mundo e defendeu uma reforma que proporcione competitividade e racionalidade para valorizar o setor produtivo da economia nacional.

"Vamos torcer para que o País faça seu dever de casa, a reforma tributária e a reforma política, que é a mãe de todas as reformas, que haja coragem para mexer na questão previdenciária e mexer na gastança", afirmou. Perillo lembrou que, como senador, lutou pelo fim da CPMF e que manterá, como governador de Goiás, a mesma postura por questão de coerência. No entanto, o governador disse que o PSDB e o DEM estarão dispostos a apoiar o novo governo "independentemente de termos perdido a eleição". "Não vamos jogar contra o Brasil", justificou.

    Leia tudo sobre: eleiçõeseleições dilmapleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG