Candidato a vice-presidente disse, por meio de sua assessoria, que recebeu honorários advocatícios de uma ação da década de 1970

O patrimônio do candidato a vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff (PT), Michel Temer (PMDB), cresceu 118,9% em quatro anos. Ao registrar sua candidatura a deputado federal em 2006, Temer declarou à Justiça Eleitoral ter R$ 2,2 milhões, ou R$ 2,7 milhões em valores atualizados pelo IPCA. Nesta segunda-feira, o deputado entregou uma declaração de bens de R$ 6,05 milhões.

A evolução patrimonial se deu principalmente devido à participação acionária num empreendimento imobiliário, de salas comerciais, em São Paulo, onde Temer declarou possuir R$ 2,2 milhões.

A declaração de bens de 2010 também revela uma série de investimentos no mercado financeiro que não existiam em 2006. Ao todo, o dinheiro aplicado em fundos de investimentos soma cerca de R$ 830 mil.

O candidato a vice-presidente também declarou ser dono de três automóveis. Um deles foi valorizado nos últimos quatro anos. Em 2006 o Audi A6 modelo 2002/2003 foi avaliado em R$ 219,4 mil, em 2010 ele apareceu na declaração de bens por R$ 282 mil.

De acordo com a assessoria de Temer, o carro foi blindado e tal valor foi acrescido ao patrimônio, daí a valorização do automóvel.

A assessoria ainda disse que a evolução patrimonial de Temer se deu devido a honorários advocatícios que ele recebeu de uma ação da década de 1970 e que só teve sua decisão final dada recentemente.

Os recursos foram usados para comprar a participação de R$ 2,2 milhões nas salas comerciais e fazer as aplicações no mercado financeiro. De acordo com a assessoria, Temer recebeu cerca de R$ 7 milhões e dividiu com dois sócios do escritório de advocacia que entrou com a ação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.