Partidos de vices, PMDB e DEM se mobilizam na Bahia

Lúcio Vieira Lima (PMDB) promoveu um adesivaço pró-Dilma e ACM Neto (DEM) pede votos pela internet

Aura Henrique, iG Bahia |

O PMDB e o DEM baianos vestiram mesmo a camisa de seus candidatos à presidência, Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), no Estado. De forma conjunta ou independente, estratégias de persuasão e apoio às candidaturas majoritárias tomam corpo na capital e interior.

Após vitória no primeiro turno, os dois deputados federais mais votados da Bahia, Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM) e Lúcio Vieira Lima (PMDB), se engajam na eleição presidencial e lideram seus grupos.

O peemedebista divulgou recentemente um adesivaço como uma ação constante até o final do pleito, com distribuição de 200 mil adesivos pró-Dilma. Além disso, estimula a manutenção da mobilização, com carros de som, corpo-a-corpo de lideranças e mini carreatas em cidades estratégicas. Lúcio espera ainda posicionamento de Michel Temer (PMDB), vice de Dilma, para uma possível visita à Bahia.

Segundo ele, a ideia é também “mostrar (ao eleitor) que Dilma é a candidata do PMDB e, votando nela, estarão votando em Temer”. Lúcio também declarou recear altos índices de abstenção no segundo turno e afirmou que deseja que as lideranças das bases incentivem os eleitores a comparecer às seções para votar, o que chamou de “ampla mobilização” no dia da eleição.

Já o líder demista, correligionário do vice de Serra, Índio da Costa (DEM), arregaçou as mangas e difundiu vídeo amador na Internet, no qual pede votos para o tucano. Segundo informou sua assessoria, são 200 cyber militantes disparando o vídeo para redes sociais e cerca de 250 mil pessoas.

Além disso, a assessoria de Neto informou que a campanha tucana avança para o Oeste, região que pretendem conquistar. “Acreditamos que, no Oeste, poderemos reduzir muito a diferença para Dilma”, relatou a assessoria. Neto se reuniu com o deputado estadual Herbert Barbosa (DEM), o mais votado da região, e definiu o Oeste como prioridade no segundo turno.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG