Parlamentares do PMDB-SC reagem à pressão por chapa pura

Liderança nacional pressionou representantes catarinenes a desistirem de aliança com Democratas; advogados do partido estudam tema

Gabriel Costa, iG Brasília |

Os parlamentares do PMDB de Santa Catarina não receberam bem a exigência da direção nacional do partido, de criação de uma chapa pura ao governo do estado. Os líderes da legenda pressionaram nesta quarta-feira os representantes do diretório regional a desistir da aliança com o Democratas, na qual o presidente estadual Eduardo Pinho Moreira sairia como vice de Raimundo Colombo, do DEM.

“O PMDB de Santa Catarina é o mais organizado do país e está sendo desrespeitado, afrontado”, disse o deputado estadual Elizeu Mattos, líder da bancada peemedebista, que afirmou também que o diretório não pretende desistir da coligação. “Vamos continuar brigando pela manutenção da aliança com as siglas que governaram Santa Catarina nestes últimos sete anos e meio."

A executiva catarinense do partido fará uma nova reunião na manhã desta quinta-feira, com as bancadas estadual e federal, para discutir alternativas diante da intervenção da liderança nacional. Os parlamentares consideram levar a votação sobre a aliança com o DEM à convenção do PMDB, que acontece neste sábado, dia 26, enquanto advogados da legenda em Brasília examinam os aspectos jurídicos da questão.

Uma comitiva do PMDB catarinense, composta por Moreira e pelos ex-governadiores Luiz Henrique da Silveira, Casildo Maldaner e Paulo Afonso Vieira, chegou à Brasília na terça-feira, onde conversou com os deputados federais e com o presidente nacional da legenda, Michel Temer, candidato a vice na chapa da presidenciável petista Dilma Rousseff. As conversas foram retomadas pela manhã.

Frente ao impasse, outros membros do partido articulam candidaturas próprias. O deputado estadual Edison Andrino se inscreveu na última segunda-feira, 21, para disputar a vaga de candidato na convenção de sábado; e o deputado federal Mauro Mariani e Paulo Afonso Vieira também já foram mencionados como possíveis nomes ao governo.

"Foi um mal que veio para o bem porque, agora, vamos ter candidato a governador", avaliou Andrino em entrevista à rádio CBN/Diário nesta quarta-feira, em referência à intervenção do diretório nacional.

Reflexos sobre demais partidos
Diante das constantes reviravoltas protagonizadas pelos peemedebistas, os demais partidos tomam suas providências. Beto Martins, presidente estadual em exercício do PSDB catarinense, conversou pela manhã com Colombo.

Após o anúncio da retirada da candidatura de Moreira, as expectativas voltaram-se para o atual governador Leonel Pavan, que havia afirmado que desistiria da reeleição em prol da chamada tríplice aliança de DEM, PMDB e PSDB, mas hesitou em cumprir o prometido. A discordância entre os líderes peemedebistas estaduais e nacionais, no entanto, afasta mais uma vez a possibilidade de acordo, e revigora a candidatura de Pavan.

O PT de Santa Catarina, por sua vez, transferiu sua convenção estadual de 26 para 30 de junho, diante da instabilidade no cenário político do estado.

    Leia tudo sobre: santa catarinaeduardo pinho moreiraPMDBDEMPSDB

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG