Paraná não pode ficar fora do pré-sal, diz Osmar Dias

Candidato pedetista defende inclusão de empresas paranaenses na relação de fornecedores da indústria de petróleo e gás

Francisco Camargo, iG Paraná |

Ao prometer apoio para a inclusão de empresas paranaenses na relação de fornecedores da indústria de petróleo e gás, Osmar Dias, candidato ao governo pela coligação A União Faz Um Novo Amanhã, disse em Araucária, onde opera uma refinaria da Petrobras, que “o Paraná não pode perder a oportunidade do pré-sal para atrair investimentos”.

Foi no encontro com empresários do município que o senador do PDT defendeu a instalação de fábricas na Região Metropolitana de Curitiba e no Litoral. “Vou conversar com a diretoria da Petrobras para que ela seja a indutora desse processo”, afirmou.

Para atender às demandas do setor, o candidato citou políticas de qualificação profissional. O projeto seria desenvolvido em parceria com o governo federal, que vai criar 30 escolas técnicas no país voltadas às necessidades para exploração do pré-sal.

Carga tributária
Já em Campo Largo, ainda na Grande Curitiba, Osmar disse que irá ampliar os programas de incentivo de isenção de impostos no estado. Atualmente as empresas que faturam até R$ 360 mil por ano não pagam impostos. Ele pretende ampliar esse limite para R$ 480 mil. Com isso, um número maior de pequenas empresas ficará livre do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). “As micro e pequenas empresas são as que mais geram empregos.”

Segundo ele, as políticas implantadas nos últimos anos pelo ex-governador Roberto Requião e pelo atual, Orlando Pessuti, já fizeram com que a mortalidade de empresas seja de apenas 25%, contra uma média nacional de 52%. A isenção paranaense do ICMS beneficia atualmente 201 mil empresas. O setor é responsável pela geração de mais de 60% dos empregos no Paraná.

    Leia tudo sobre: osmar diaspré-saleleiçõesicmsparaná

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG