Para Serra, PT quer mudar regra do jogo na semana da eleição

Tucano critica ação movida pelo PT para reverter exigência de dois documentos no dia da votação

Alessandra Oggioni, iG São Paulo |

O presidenciável tucano José Serra criticou hoje a ação movida pelo PT para reverter a lei que obriga o eleitor a apresentar dois documentos no dia da votação. “Foi o presidente da República que sancionou (a lei). Todo o processo eleitoral se organizou em torno disso. Aí, vem o PT, de última hora, querendo mudar a regra do jogo? É muito esquisito”, afirmou Serra aos jornalistas.

O candidato também soltou farpas contra a decisão de um desembargador no Estado de Tocantins, que proibiu jornais, TVs e emissoras de rádio de divulgar informações sobre investigação do Ministério Público que cita o governador e candidato à reeleição, Carlos Gaguim (PMDB).

“É uma aberração completa. Na semana da eleição, um escândalo daquele tamanho, uma roubalheira de dinheiro público e eles conseguem que seja proibido para os jornais e a imprensa divulgarem o que está acontecendo”, afirmou Serra, acrescentando tratar-se de “um grande estelionato eleitoral, e de esquema político do PT”. Segundo Serra, é preciso “fazer todo o esforço para derrubar essa decisão equivocada de um jurista equivocado”.

Serra participou hoje, na capital paulista, de um evento promovido pelo “Movimento Mulheres Vamos Lá”, no Clube Sírio, e organizado pela mulher dele, Mônica Serra. A uma audiência de cerca de 1.200 pessoas, na maioria mulheres, o candidato disse que o importante neste momento é conquistar os votos dos indecisos. “Agora é um trabalho de conquista de mais um voto. Na média, quem puder conquistar quatro ou cinco, maravilha”, afirmou Serra, que ainda disse estar confiante de que irá para o segundo turno.

Além da mulher Mônica, Serra também estava acompanhado do candidato a vice na sua chapa, o deputado Indio da Costa (DEM), do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), do candidato tucano ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, além do governador paulista Alberto Goldman (PSDB).

De São Paulo, o presidenciável tucano segue o roteiro de sua campanha para cidades do interior paulista.

    Leia tudo sobre: pleito 2010eleições serratocantinspt

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG