O deputado Arnaldo Madeira reagiu ao posicionamento dos presidentes da CUT e da Força Sindical contra o pré-candidato José Serra

"Eles são discípulos do Lula, seguidores do Lula, tanto que as centrais foram beneficiadas com recursos do imposto sindical. São assalariadas do governo", reagiu o deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP) ao posicionamento dos presidentes da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força, e da Central única dos Trabalhadores (CUT), Artur Henrique, que ontem partiram para o ataque contra o pré-candidato tucano José Serra. De acordo com Madeira, é "lamentável" que, por sua relação simbiótica com o PT, os sindicalistas tenham "perdido a capacidade de isenção".

"Eles não sabem separar a política das entidades representativas de segmentos do trabalho. Acho lamentável que eles tenham perdido a capacidade de isenção, de separar a política das entidades representativas de segmentos do trabalho", disse. O deputado atribui aos dirigentes sindicais uma "desonestidade intelectual" pelos ataques diretos à campanha tucana, especialmente por afirmar que Serra "tiraria os direitos do trabalhador". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.