Onézimo reafirma versão sobre encomenda de dossiê

No Senado, ex-delegado voltou a dizer que foi procurado por membros da campanha de Dilma Rousseff

Andréia Sadi, iG Brasília |

O delegado aposentado da Polícia Federal Onézimo de Souza depôs nesta quinta-feira no Senado sobre o suposto dossiê e investigação contra o candidato tucano à Presidência, José Serra, que teria sido encomendado pelo PT. Onézimo reafirmou que foi procurado para uma reunião, em Brasília, por pessoas que se apresentaram como representantes de Fernando Pimentel, ex-prefeito de Belo Horizonte e um dos coordenadores da campanha de Dilma Rousseff.

Segundo o delegado, o jornalista Amauri Ribeiro, presente no encontro, disse ter "dois tiros fatais" contra o tucano. Também estavam na reunião do último dia 20 , no restaurante Fritz, Luiz Lanzetta, Benedito Rodrigues de Oliveira Neto e o ex-agente Idalberto Matias de Araujo.

Onézimo desafiou Ribeiro e Luiz Lanzetta, dono da Lanza Comunicação, que prestava serviços para a campanha de Dilma, para uma acareação. “Topo a qualquer momento. Eu não sei porque eles não vieram hoje”, afirmou a jornalistas.

Lanzetta se desligou do comitê petista, após a divulgação do encontro com os espiões, há um mês e meio. O advogado do jornalista, que acompanhou o depoimento, disse que vai entrar com ação na Justiça contra as declarações de Onézimo.

    Leia tudo sobre: Dilma Rousseffdossiê

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG