¿Se você entrar na lama para brigar com o porco, os dois se sujam e o porco gosta", afirmou a ex-vereadora em entrevista ao portal

A ex-vereadora Sonia Francine, 42 anos, a Soninha, explica como será sua função na campanha de internet do candidato à Presidência da República pelo PSDB, José Serra. Ela afirma que cuidará do conteúdo do site do tucano ( www.serra45.com.br ) e que prefere sair das brigas e ataques pessoais que acontecem na rede de computadores.

“Tem horas que o jeito é ir embora. Outro dia eu vi uma frase boa para descrever isso: “se você entrar na lama para brigar com o porco, os dois se sujam e o porco gosta”. Então, pior para você. Por isso, acho uma lástima. Não vou chamar ninguém para rolar na lama”, afirmou em entrevista concedida por telefone ao portal.

Soninha tornou-se conhecida como apresentadora de TV (começou na MTV e agora trabalha na ESPN), mas entrou na política em 2004. Naquele ano, foi eleita vereadora de São Paulo pelo PT. Tentou uma vaga na Câmara dos Deputados, mas foi derrotada e deixou o partido por conta de uma série divergências internas.

Em seguida, filiou-se ao PPS e disputou a Prefeitura de São Paulo em 2008. Obteve 4,19% e ficou em quinto lugar. Em 2009, o prefeito reeleito Gilberto Kassab (DEM) nomeiou-a subprefeita da Lapa. Preparou-se para ser candidata ao Senado, mas acabou desistindo. Agora acaba se ser escolhida para integrar a campanha de Serra, como informou a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo.

iG – Como foi o convite para fazer da equipe de internet da campanha?
Soninha Francine – O pessoal da equipe de comunicação da campanha me chamou para conversar para saber se eu não queria me incorporar à equipe para trabalhar especialmente no site. Eles acham que eu manjo disso. E de fato eu gosto de me comunicar pela internet.

iG – Já fazia isso nas campanhas em que disputou [vereadora, deputada e prefeita]?
Soninha – Sempre cuidei disso muito de perto. Claro que eu não sou do tipo que sabe formatar um template, subir material. Tem sempre um pessoal que cuida da parte operacional.

iG – Entende mais de conteúdo.
Soninha – De conteúdo sim. Quando eu era vereadora ou quando fui candidato a prefeita, do conteúdo era sempre eu quem dizia. Eu abasteço. Eu mesmo produzo muitas coisas. Na campanha do Serra, tem muitas frentes diferentes.

iG – Na campanha do Serra, já havia outras pessoas cuidando da área de internet.
Soninha – Tem o Mobiliza. Estou chegando agora. Não sei se o Mobiliza trabalha para a campanha do Serra ou para o PSDB. Mas o Mobiliza não produz conteúdo do tipo programa de governo. Mobiliza é uma ferramenta de articulação, de apoios e até de divulgação do conteúdo.

iG – O Serra usa muito o Twitter. O que tem achado da atuação dele na campanha de internet?
Soninha – Aí também são coisas diferentes. No Twitter dele, ele fala de coisas que ele assistiu, como um filme, ou que está triste porque alguém morreu. Eu acho legal isso. Eu até às vezes gostaria que ele colocasse algumas coisas mais relacionadas à atividade política propriamente. Mas entendo. O Twitter é dele, pessoa física. É sempre do ponto de vista pessoal. Ele não vai tuitar sobre royaties de petróleo, por exemplo

iG - Ele não entra em questões políticas, não é?
Soninha – Ele comenta a atividade dele. Ele comenta o que está passando, mas é sempre um depoimento pessoal. Ele não começa uma discussão no Twitter.

iG – Você chegou a conversar com o Serra sobre a sua atuação na campanha?
Soninha – Não. Foi o pessoal da campanha que me chamou. Da equipe de comunicação que, certamente, me acompanha pela internet. Vê que eu gosto disso. E se me perguntassem, você quer entrar na campanha do Serra e fazer o quê? Eu falaria: quero escrever. Escrever para o horário eleitoral era totalmente fora de cogitação. Ninguém aceitaria as minhas sugestões para o horário eleitoral. O meu horário eleitoral da campanha para a prefeitura [em 2008] só tomou pau de marqueteiro. Todos eles achavam péssimo. Falavam que tinha muito conteúdo.

iG – Você se arrepende de ter feito o programa daquele jeito?
Soninha – Nem a pau. O problema do meu horário eleitoral é que esteticamente era ruim. Coisa de marinheiro de primeira viagem. Mas era aquilo mesmo. Uma coisa muito simples do ponto de vista visual. Agora na internet você se estender mais.

iG – É isso que está faltando? Conteúdo?
Soninha – Do ponto de vista como navegadora é o que eu quero ter. É o que eu quero encontrar na internet. O resto é tudo resumão, pouco mais que um slogan.

iG – Neste sentido, a campanha do Obama serve de referência?
Soninha – Até acompanhei a campanha do Obama. Curti bastante. Na minha campanha para prefeitura, eu até tentei fazer alguns comerciais. Tem muita coisa a aproveitar, mas se não tomar cuidado fica muito descolado do nosso jeitão [brasileiro] de fazer as coisas.

iG – E como tem de ser esse jeitão?
Soninha – Acho que não pode ser só o super clean. O super bem editado. Não tenho nada contra, mas até a MTV, aos poucos, foi ficando uma tecnologia meio berimbau.

iG – Da mesma forma quando se usa imagem de internet na TV e não fica uma coisa limpa, bem feita. É isso que você está querendo dizer?
Soninha – Exatamente. Eu gosto de uma poerinha. De um terrão. Gosto do chiado do disco vinil.

iG – O que acha das trocas de ataques via internet na campanha?
Soninha – Eu acho um horror. É uma coisa que me deprime.

iG – Como evitar?
Soninha - Não tem como. O que se pode fazer é não entrar na briga, que é o que eu procuro fazer. Mas é difícil porque às vezes você quer entrar numa discussão e não tem jeito. Você quer disputar na bola, mas o adversário quer pisar na sua costela. Então, enche o saco querer discutir. E a discussão virar briga. Tem horas que o jeito é ir embora. Outro dia eu vi uma frase boa para descrever isso: se você entrar na lama para brigar com o porco, os dois se sujam e o porco gosta. Então, pior para você. Por isso, acho uma lástima. Não vou chamar ninguém para rolar na lama. Às vezes as pessoas se comportam como o zagueiro botinudo, que rola no chão quando toma uma ombrada.

iG – Na campanha do PSDB, existe uma empresa responsável pelas redes sociais, a Loops, e uma outra pessoa que ajuda o Serra no Twitter. Para ficar claro, o que você fará na campanha?
Soninha – Eu vou cuidar do www.serra45.com.br. O que estou pensando é sugerir maneiras de colocar muito conteúdo porque tem muita coisa.

iG – Por exemplo?
Soninha – Tudo o que o Serra fez como ministro, secretário do Planejamento em São Paulo, prefeito, governador. É um esforço de reunir e consolidar. O que significa organizar por temas, organizar por linha cronológica, por impacto local, regional. É juntar isso tudo. Acho que é preciso levar em conta três coisas: como ele pensa; como ele já traduziu isso em ações na vida da população; e o que ele propõe para o futuro. É isso que eu procuro para escolher meu candidato é o que eu quero que tenha no site.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.