No Rio, saúde, transporte e segurança ditam o horário eleitoral

Gabeira critica atendimento nas UPAs; Cabral enfatiza promessa de ampliar PAC e UPPs nas favelas

Flávia Salme, iG Rio de Janeiro |

Enquanto adversários do governador e candidato à reeleição, Sérgio Cabral (PMDB), aproveitaram o horário gratuito para criticar o governo do Rio nesta segunda-feira (30), o peemedebista utilizou a propaganda eleitoral para reafirmar promessas de campanha.

Fernando Gabeira (PV) veiculou imagens de pacientes que reclamavam do serviço nas Unidades de Pronto Atedimento (UPAs) do Estado, por falta de vagas ou longa espera nas filas. Ao falar sobre estaleiros no Rio, o verde afirmou que falta mão de obra qualificada o que, segundo o candidato, tem levado as empresas a “impotar” profissionais. Ele prometeu escolas técnicas profissionalizantes para o setor, caso seja eleito.

Mais cedo, no rádio, Gabeira voltou a falar sobre o tiroteio em São Conrado (zona sul), há pouco mais de uma semana, e afirmou que o governo precisa esclarecer melhor o episódio. “Há muitas perguntas ali que não foram respondidas. A primeira delas: por que um comboio de 80 pessoas armadas se desloca em uma cidade como o Rio de Janeiro sem que ninguém perceba?”

Sérgio Cabral exibiu em seu tempo na TV um encontro com moradores de diferentes regiões do Rio, que contou com a presença do cantor Dicró, do cineasta Cacá Diegues e do ator e promotor de eventos Perfeito Fortuna.

Cabral aproveitou o “bate-papo” para reafirmar que, se reeleito, vai levar o PAC para favelas do Maciço da Tijuca (Borel, por exemplo), além das regiões da Baixada Fluminense, Itaboraí e São Gonçalo. E voltou a prometer que, num eventual segundo mandato, irá pacificar todas as comunidades dominadas pelo tráfico armado no Rio.

Pela manhã, no rádio, Cabral defendeu o Bilhete Único ( programa que permite a um passageiro no Rio usar duas conduções como trens, ônibus, barcas e metrô, por R$ 4,40, no período de duas horas ).

Fernando Peregrino (PR) criticou o serviço no transporte público do Estado, como havia feito em propagandas anteriores. E aproveitou o espaço na TV para criticar o Bilhete Único. O candidato afirmou que, se eleito, vai reduzir a tarifa para R$ 2,50 e ampliar o tempo de viagem para três horas.

Cyro Garcia (PSTU) fez críticas à educação pública na rede estadual. Reclamou dos salários paos aos professores e afirmou que as salas de aula estão superlotadas. O candidato dividiu seu espaço com sindicalistas, que aproveitaram o horário gratuito para divulgar que os professores de São João de Meriti, na baixada, estão em greve por aumento de salário.

Na propaganda de Jefferson Moura (PSOL), a ex-senadora Heloísa Helena voltou à cena para pedir votos ao candidato. No programa desta segunda-feira, Moura também fez críticas à educação.

    Leia tudo sobre: eleições rjpropaganda eleitoralgabeiracabral

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG