No Rio Grande do Sul, aumenta apoio oficial de pedetistas a Tarso

Grupo liderado por Orion Cabral entregou documento a executiva estadual no qual defende Collares e critica coligação com PMDB

Alexandre Haubrich, iG Porto Alegre |

A voz do ex-governador Alceu Collares continua fazendo eco na campanha ao Piratini. As dissidências dentro do PDT aumentam, e a coligação dos trabalhistas, encabeçada pelo PMDB de José Fogaça, vê-se em dificuldades para manter a serenidade e punir tantos rebeldes. Além disso, a candidatura do candidato a vice-governador, Pompeo de Mattos (PDT), foi impugnada e terá seu registro julgado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) na sexta-feira, 30.

Nessa terça-feira, 27, foi a vez de um grupo de 20 pedetistas entregar ao presidente estadual do partido, Romildo Bolzan, um documento que oficializa o apoio ao candidato do PT, Tarso Genro, solidarizando-se com Collares.

Após aparecer ao lado de Tarso no primeiro ato de campanha do PT, no dia 6 deste mês, e afirmar, dois dias depois, que Fogaça é incompetente, o ex-governador teve o pedido de expulsão encaminhado à executiva nacional. O presidente da sigla, Carlos Lupi, porém, saiu em defesa de Collares, e a punição dificilmente irá se confirmar, apesar da pressão que volta agora a ser exercida pelos coordenadores estaduais.

O ex-secretário da Fazenda quando Collares foi governador, Orion Cabral, foi quem liderou o grupo que anunciou ontem o apoio a Tarso Genro. Orion afirmou que o PDT está mais próximo de Dilma Rousseff (PT), enquanto o PMDB gaúcho estaria mais ligado a José Serra (PSDB), o que tornaria contraditória a aliança. Também reafirmou apoio a Collares, ao dizer que há uma tentativa de desqualificar o ex governador.

Enquanto em Porto Alegre o clima é tenso, José Fogaça vai com Pompeo de Mattos ao interior, e passa a quarta-feira entre Vacaria e Lagoa Vermelha. Tarso Genro, por sua vez, fica na capital gaúcha, onde participa de encontros com pastores da Igreja Mundial do Poder de Deus e com sindicatos.

Segundo as pesquisas, quem pode ganhar com as divergências dentro do PDT é a terceira colocada, Yeda Crusius (PSDB). A atual governadora diminuiu seu índice de rejeição. Segundo a pesquisa mais recentemente publicada, 36% dos eleitores consideram seu governo ruim ou péssimo. Na pesquisa anterior, eram 41%, sendo que esse índice já chegara a 51% no final de maio. Agora a governadora gaúcha é a segunda pior avaliada entre todos os governadores brasileiros, com nota 4,9.

Yeda vai a Pelotas nesta quarta-feira, onde deverá fazer caminhada e participar da Superquarta, evento que o PSDB tem levado às principais cidades gaúchas semanalmente. Já o candidato do PSOL, Pedro Ruas, vai a Santa Maria encontrar o concorrente do partido à presidência da República, Plínio de Arruda Sampaio, onde participarão de caminhadas e do lançamento da candidatura de Sandra Feltrin (PSOL) a deputada estadual.

    Leia tudo sobre: alceu collarestarso genropdtrio grande do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG