No Paraná, Serra e Richa iniciam campanha juntos com caminhada

Osmar Dias dá início à semana com reuniões e formação de equipes de apoio, e depende da agenda de Dilma para traçar roteiro

Francisco Camargo, iG Paraná |

A campanha tucana para o governo do estado e à presidência da República começa nesta terça-feira, dia 6, em Curitiba, com uma caminhada dos candidatos José Serra e Beto Richa pelo calçadão da Rua XV, a partir do meio-dia, partindo da Praça Santos Andrade.

Já o candidato Osmar Dias, do PDT, inicia a semana com reuniões e formação de equipes de apoio. Ele pretende promover eventos em cidades polo, mas ainda depende da agenda da candidata petista Dilma Rousseff para traçar o roteiro de visitas.

Além da ex-ministra, o PDT aguarda também aguarda também a vinda do presidente Lula, o que depende da agenda do Palácio do Planalto. Outro trunfo é o PMDB, que conta com o maior número de prefeitos e deputados no Paraná.

A presença de José Serra em Curitiba, na largada da campanha, é resultado da preocupação do PSDB com o crescimento de Dilma Rousseff na região Sul, além dos problemas enfrentados na definição do candidato a vice, que ocorreu na semana passada.

Pela legislação eleitoral, a campanha nas ruas está liberada a partir desta terça-feira. O horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão só começa a partir de 17 de agosto.

Dias justifica alianças
Em entrevista na manhã desta segunda-feira, na rádio BandNews, em Curitiba, o candidato Osmar Dias (PDT) evitou falar sobre as alianças da campanha, com o PMDB de Roberto Requião e o PT. Disse que preferia tratar do seu projeto de governo para o Paraná.

Para ele não haveria incoerência ao incluir Requião, que o derrotou na eleição passada, em dura campanha ao governo do estado. E na chapa tucana de Beto Richa também haveria alianças que poderiam ser consideradas estranhas: “O PP e o PSB, que têm ministérios no governo Lula, estão lá”, disse.

Quanto ao PT e o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra), afirmou que continuará defendendo o direito à propriedade, indagado sobre sua posição claramente favorável ao agronegócio.

E não descartou a possibilidade de licenciar-se do Senado para tocar a campanha.

    Leia tudo sobre: José SerraBeto RichaOsmar DiasPSDBPDT

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG