No Maranhão, presidente de seção eleitoral é presa pela PF

Mulher foi acusada de votar em lugar de outra pessoa; no geral, eleições foram consideradas tranqüilas no Estado

Wilson Lima, iG Maranhão |

A presidente de uma seção eleitoral foi presa hoje pela Polícia Federal (PF) acusada de cometer crime eleitoral. Pelas informações da PF, a mulher foi acusada de votar no lugar de uma outra pessoa da seção eleitoral, no bairro São Francisco, em São Luís (MA).
Ainda conforme informações da PF do Maranhão, outras duas pessoas tentaram votar mas não conseguiram. O motivo: outras pessoas já haviam votado no lugar delas. O fato aconteceu nos bairros Monte Castelo e no bairro Diamante, ambos em São Luís.
De acordo com o chefe da Delegacia de Defesa Institucional da Polícia Federal no Maranhão, Rodrigo Santos, apesar dessas ocorrências, o 2º turno foi considerado tranqüilo. “Diante do trabalho preventivo realizado, podemos concluir que tivemos êxito em reduzir a quantidade de ocorrências de crimes eleitorais, tanto na capital, quanto nas cidades do interior do Estado”, destacou o delegado da PF.
Das mais de 14 mil urnas no Maranhão, apenas 61 foram necessárias serem substituídas em todo o Estado, conforme levantamento do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA). Além disso, 41 precisaram ser reiniciadas e seis funcionaram com bateria externa.
Além disso, pelos dados do TRE-MA, 17 urnas eletrônicas apresentaram problemas com bobinas e nove delas não tiveram problemas com a impressora interna. Nenhuma urna manual foi utilizada em todo o Estado. Ao contrário do 1º turno, nenhuma prisão por desacato foi realizada no Maranhão neste 2º turno. No dia 03 de outubro, três pessoas foram presas por desacato a autoridade nas seções eleitorais do Estado.

    Leia tudo sobre: eleiçõeseleições mapleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG