No Maranhão, Dino rebate críticas de Lula

Candidato derrotado ao governo do Estado afirma ter o direito de questionar na Justiça o resultado da eleição

Wilson Lima, iG Maranhão |

Antes de votar em São Luís, o deputado federal e ex-candidato ao governo do Estado do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), rebateu hoje as críticas relacionadas ao pedido de investigação de possíveis indícios de fraudes no primeiro turno das eleições do Maranhão.

Citando a governadora reeleita Roseana Sarney (PMDB), Flávio Dino alegou que é o direito dele buscar explicações na Justiça sobre indícios de crimes eleitorais em todo o Estado. “Isso é democrático, isso a constituição e as leis garantem. Na verdade, pedimos uma investigação ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral) e ao Ministério Público, porque existem denúncias graves de compra de votos, de abuso e de fraudes e nós temos o direito e o dever de defender a apuração desses fatos”, disse Dino.

“A própria governadora Roseana Sarney, quando se considerou prejudicada, quando perdeu a eleição por uma ampla margem, ingressou com uma ação da Justiça. Foi um direito dela que ela exerceu”, complementou.

Após o final do primeiro turno, a ex-coligação de Dino ingressou com duas representações, uma no Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) e outra no Ministério Público Eleitoral (MPE-MA) para apurar indícios de fraudes em mais de 20 mil votos registrados após as 17h30, nas urnas eletrônicas de todo o Estado. A ex-coligação de Dino também reclama que nas eleições de três de outubro existem indícios de ocorrência de outros crimes eleitorais como capitação ilícita de sufrágio e abuso de poder econômico.

Sobre esses pedidos de investigação, o jornal O Estado de São Paulo publicou matéria na semana passada afirmando que o presidente Lula teria declarado que ele estaria “se queixando à toa” e que essas representações seriam “choro de derrotado”. “Eu não sei se o presidente Lula disse isso mesmo”, destacou Dino.

“A expectativa é de vitória da Dilma, que ela faça um governo progressista, de reformas estruturais, que distribua renda para os mais pobres, que combata a corrupção e que colabore para a renovação da política no país”, finalizou Dino sobre a disputa presidencial. O outro ex-adversário de Roseana, Jackson Lago (PDT), não votou em São Luís. Ele está em Brasília resolvendo problemas pessoais.

    Leia tudo sobre: eleiçõeseleições maeleições dilmapleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG