No horário eleitoral, Lula diz que MG não pode ficar na oposição

Diante de Hélio Costa, Patrus Ananias e Fernando Pimentel, presidente petista diz que Minas voltará a Presidência com Dilma

Eduardo Ferrari, iG Minas Gerais |

Foi simulando uma reunião de trabalho em seu gabinete, na Presidência da República, que Luiz Inácio Lula da Silva voltou ao Horário Eleitoral Gratuito mineiro para participar do programa da campanha ao Governo de Minas do candidato Hélio Costa (PMDB).

A “reunião”, onde também participam os petistas Patrus Ananias, candidato a vice na chama de Costa, e Fernando Pimentel, candidato ao Senado, foi ao ar no programa eleitoral desta segunda-feira (20). O depoimento foi gravado em Brasília a pedido de Patrus, há cerca de duas semanas, na tentativa de barrar o crescimento do principal adversário nas pesquisas de intenção de votos, o tucano Antônio Anastasia, atual governador e candidato à reeleição.

Durante cerca de três minutos, os quatro políticos conversaram como se estivessem traçando os rumos que Minas deverá tomar após as eleições de outubro. As cenas remetiam à já famosa reunião que Hélio Costa costuma citar que ocorreu entre os quatro, ainda no início deste ano, quando “eles ouviram o chamamento” de Lula para a disputa do governo do estado.

Costa puxou a palavra e repetiu que, apesar das boas realizações do governo atual, muito foi deixado para trás e que era preciso repensar as ações para o próximo governo nas áreas sociais e de segurança pública, principalmente. A cada fala sua, Lula, Pimentel e Patrus concordavam.

Lula foi quem encerrou a reunião dizendo que “Minas não pode ficar na oposição ao Governo Federal”. “Faz tempo que Minas Gerais não ocupa a Presidência e agora irá voltar com a mineira Dilma. Por isso é muito importante que Dilma tenha todo o apoio de Minas pois eu tenho certeza de que assim grandes realizações virão para o estado”, afirmou.

Serra aparece no programa de Aécio Neves

Já no programa eleitoral tucano, depois de uma longa ausência, José Serra, candidato à Presidência pelo PSDB, reapareceu no programa de Aécio Neves ao Senado. Mas ao invés de um depoimento conjunto e da declaração de apoio do “maior eleitor de Minas”, Aécio, foi Serra quem afirmou que “irá honrar o compromisso assumido com o governador Antonio Anastasia (PSDB), candidato à reeleição, e com Aécio, em um programa específico para o estado de Minas Gerais”. “Vamos trabalhar por Minas, porque trabalhar por Minas é trabalhar pelo Brasil", disse. O pronunciamento havia sido veiculado pela primeira vez na sexta-feira (17) e deverá ser exibido novamente durante a semana.

No programa de Anastasia, o ex-governador paulista continua sendo ignorado e não vem sendo citado pelos candidatos. No máximo, costumava aparecer em imagens de relance ou em cartazes ao fundo.

    Leia tudo sobre: Eleições MG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG