No Ceará, Serra nega crítica à divisão de royalties

Candidato tucano diz que suas declarações dadas ontem no Espírito Santo foram mal interpretadas

Lauriberto Braga, iG Ceará |

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, disse que foi mal interpretado sobre as declarações feitas ontem, em Vitória (ES), sobre a divisão dos royalties do pré-sal. "Não critiquei a distribuição dos royalties. O que saiu foi distorcido. O que eu disse é que os royalties do petróleo devem beneficiar o conjunto do Brasil", afirmou hoje em Cascavel, cidade a 60 quilômetros de Fortaleza, no Ceará.

Ontem , Serra afirmou que " essa ameaça permanente de tirar recursos do Espírito Santo, que é uma região produtora de petróleo, não vai acontecer". Hoje, no entanto, Serra disse que não é possível tirar os royalties na proporção que vinham das regiões mais exploradoras de petróleo, como no Rio de Janeiro e no Espírito Santo, mas que era preciso “distribuir os benefícios do petróleo para o conjunto dos municípios e dos Estados brasileiros. E para as regiões produtoras, ter algo que vai ser sempre especial, pois elas produzem”.

Segundo Serra, o governo lançou o pré-sal “correndo”, “no meio de uma campanha eleitoral, causando conflitos entre os Estados".

Serra esteve em Cascavel ao lado dos candidatos a governador, Marcos Cals (PSDB), do vice, Pedro Fiúza (PSDB), e dos candidatos a senador Tasso Jereissati (PSDB) e Alexandre Pereira (PPS).

Durante caminhada em um calor de 35 graus, Serra abraçou crianças e tirou fotos com eleitoras. Entrou em pelo menos três mercadinhos e parou por mais tempo numa padaria, onde conversou com vendedoras e padeiros e aproveitou para experimentar uma fatia de bolo de chocolate.

Serra também passou por Fortaleza, onde almoçou com a cúpula tucana no Ceará, e seguiu para o corpo a corpo em Uruoca, região Norte do Estado. À noite, a agenda do tucano será encerrada nas festas de chitão em Massapê e Marco, também na região Norte cearense.

Debates

Além do pré-sal, Serra também incluiu em sua pauta no Ceará críticas à adversária petista, Dilma Rousseff. "Tem candidatos que escapam do debate, do confronto, do paralelo. Fica tudo coisa preparada por marqueteiro a distância. Aí fica difícil o debate e mais complicado para a população comparar. O que nós queremos é debater o tempo inteiro", afirmou.

Em sua visita a Cascavel (CE) , Serra declarou que o Estado precisa “tocar obras importantes que foram anunciadas, mas de fato não estão andando como se desejaria". Ele citou a ferrovia Transnordestina, além de uma refinaria e uma siderúrgica para o Ceará, que segundo ele, "nunca saíram do papel".

Serra prometeu, ainda, dobrar o valor do Bolsa Família e expandir o programa para quem vive abaixo da linha de pobreza.

Aeroportos

A infraestrutura para a Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil, também foi assunto do tucano hoje, no Ceará. Ele afirmou que um gargalo para a realização do Mundial no País são os aeroportos. "Não se andou nada em matéria aeroportuário no Brasil. Cada lugar que você vai, a coisa está ruim, inclusive em Fortaleza, que tem problema com aeroporto. Vai para São Paulo, tem problema com aeroporto. Vai para Minas, tudo é a mesma coisa".

    Leia tudo sobre: eleiçõesserracearápré-sal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG