Vice-presidente aparece pedindo votos para Netinho enquanto filha de Quércia reitera apoio do pai para Aloysio Nunes

No programa eleitoral veiculado nesta tarde na TV, os candidatos ao Senado intensificaram o apoio de seus aliados. Enquanto Netinho de Paula (PCdoB) veiculou imagens do vice-presidente, José Alencar, pedindo voto a ele, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) expôs imagens de Andréa Quércia declarando ser 'Aloysio’, em referência ao apoio declarado de Orestes Quércia (PMDB) à candidatura do tucano.

No depoimento, Alencar cita todo o trabalho de Netinho na periferia de São Paulo e conclui: “por isso meu voto é de Netinho”. O candidato do PCdoB e Marta Suplicy (PT) lideram a disputa para o Senado em São Paulo, segundo último levantamento do Datafolha. Netinho tem 36%, Marta 35% e Aloísio 16%.

O destaque do programa de Aloysio Nunes ficou para o depoimento gravado pela filha do ex-governador Orestes Quércia (PMDB). Andréia Quércia explica, em breve discurso, os motivos pelos quais o pai deixou a candidatura e finaliza dizendo “somos todos Aloysio”. Na busca pelo segundo lugar, Aloísio Nunes veiculou imagens de Serra e de Alckmin, defendeu uma política eficiente para o tratamento de drogas, construção de escolas técnicas e fez promessas para incrementar o Ministério da Segurança, uma das promessas de campanha de Serra.

Governador

Nos programas dos candidatos ao governo paulista, as dicussões ficaram no terreno das obras e projetos de governos, com pouca relação com trabalhos legislativos "Não é de hoje que Mercadante falta ao Senado", disse um ator. Alckmin não fez acusações diretas ao candidato petista.

Mercadante, por sua vez, gastou boa parte do programa para se defender. "Participei ativamente da aprovação dos 36 empréstimos para Metrô, CPTM e outras obras, inclusive para projetos referentes à Copa do Mundo". "Nas três vezes em que eu não participei diretamente, duas foram por licença médica, me recuperando de cirurgias, e a outra, por causa da abertura oficial da minha campanha", afirmou. "Mesmo assim tive participação decisiva como líder do governo Lula, deixei tudo acertado em Brasília, coordenando as negociações dos acordos com todos os partidos para que os empréstimos fossem aprovados, como foram", acrescentou.

Mercadante também fez críticas ao PSDB, que governa o Estado há 16 anos. "Nos últimos 16 anos o PSDB procurou transferir os próprios erros para os prefeitos e para o governo federal". "Você sabe, quando a gente foge da responsabilidade, nunca resolve as dificuldades, eu quero mudar essa atitude", disse.

A candidata à Presidência, Dilma Rousseff, e o presidente Lula também pediram votos para Mercadante. "Mercadante vai ter o apoio de Lula e Dilma para fazer o coração de São Paulo bater no mesmo ritmo do Brasil", afirmou o locutor.

Alckmin dedicou a maior parte de seu programa a propostas na área de educação. Ele prometeu ampliar a Escola de Formação dos Professores, criada por José Serra, candidato à Presidência pelo PSDB e ex-governador do Estado. "Serra implantou e eu vou investir na escola de formação dos professores", disse Alckmin, na única referência direta a Serra em todo o programa.

( Com informações da Agência Estado )

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.