Netinho diz que que 'vão inventar muita coisa' sobre ele

Candidato do PC do B ao Senado afirma que já pediu desculpas pelo caso da agressão à mulher

Agência Estado |

selo

O candidato ao Senado pelo PC do B, Netinho de Paula, mudou de estratégia e passou a reagir aos ataques dos adversários, especialmente no que se refere ao episódio de agressão à ex-mulher, em 2005. "Vocês têm visto os ataques, vão inventar muita coisa", discursou ontem para garotas, mulheres e senhoras emocionadas - e alguns rapazes - na Cohab do Rincão, na Vila Matilde, São Paulo. "Até parece que vocês não sabiam do que aconteceu, que eu já não pedi desculpas. Eles usam isso porque são desconexos do povo."

Em apoio, o candidato do PT a deputado estadual, Adriano Diogo, completou: "Quem são eles para acusar o Netinho de bater em alguém depois de bater no povo por 400 anos?", disse, recebendo aplausos do público.

Para não arriscar ter de se explicar também aos adversários políticos, Netinho não dá mais entrevistas individuais e cancelou participação em debates e programas de rádio e TV. Netinho aprendeu que, contrariando o senso comum no meio artístico, nem sempre a exposição pública no papel de candidato tem efeito positivo.

Os marqueteiros avaliam que a imagem do político Netinho, líder na disputa ao lado de Marta Suplicy (PT),

de acordo com pesquisa Datafolha divulgada no sábado passado, é menos importante que a do cantor Netinho, que fala com fãs no corpo a corpo da campanha. Por isso, a coordenação da campanha decidiu blindá-lo na reta final da corrida às urnas.

Netinho, porém, nega que esteja usando a estratégia de isolamento. "Sempre atendi a todos, só não fui no debate", dissem. Isso até as pesquisas de intenção de votos apontarem a liderança de Netinho na disputa ao Senado, ao lado da petista Marta Suplicy, na semana passada. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: eleições spnetinhopc do b

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG