Nascido nos anos 90, trem-bala vira novo tema da campanha

Projeto cujo edital foi lançado hoje por Lula tomou por base estudos realizados na década de 90, sob governo Fernando Henrique

Piero Locatelli, iG São Paulo, e Wilson Lima, iG Maranhão |

O projeto que prevê a criação de um trem de alta velocidade que ligará Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro se transformou nesta terça-feira em mais um tema da disputa entre os presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB). Após o presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitar a cerimônia de lançamento do edital para atribuir a sua candidata o sucesso do projeto, Serra criticou a roupagem final dada ao empreendimento.

Na prática, o projeto do trem-bala é baseado em estudos realizados pelo governo federal na década 90, quando o tucano Fernando Henrique Cardoso era presidente.

Esquecido no final do mandato de FHC, o plano foi retomado pelo governo Lula em 2006. No ano seguinte, a proposta ganhou fôlego quando o Brasil foi escolhido como país-sede da Copa do Mundo de 2014.

Na cerimônia que marcou hoje o lançamento do edital para a realização da obra, Lula atribuiu a Dilma o sucesso da iniciativa. "Eu não posso deixar de dizer aqui que nós devemos o sucesso disso tudo que a gente está comemorando aqui a uma mulher”, disse o presidente, referindo-se à ex-ministra da Casa Civil. Serra, que visitou hoje Balsas, no Maranhão, disse que falta clareza ao projeto final e que outras prioridades poderiam ser estabelecidas. Criticando severamente os custos da operação, o tucano disse que o Brasil poderia adotar outras estratégias de logística. “Falta clareza ao projeto e outras prioridades seriam estabelecidas”, disse.

Origem

Apesar de o projeto ganhar destaque nos discursos de campanha, o primeiro estudo para a construção de um trem entre São Paulo e Rio de Janeiro data de 1981, segundo informações veiculadas no site do Ministério dos Transportes. Os trabalhos foram iniciados ainda no governo João Figueiredo pelo Geipot (Empresa de Planejamento de Transportes). O projeto atual toma como base os estudos posteriores feitos pelos tucanos há quase quinze anos.

“Em meados dos anos 90, o governo brasileiro, no âmbito de um acordo de cooperação com o governo alemão, realizou um estudo denominado “TRANSCORR” com o objetivo de identificar investimentos para modernização do sistema de transporte no corredor Rio de Janeiro - São Paulo - Campinas. Tal estudo indicou a necessidade de implantação e detalhou um sistema de trens de alta velocidade como solução para o transporte de passageiros no corredor que serviu de referência para os estudos atuais”, mostra o texto publicado no site do Ministério dos Transportes. Em 1996, foi firmado um convênio entre 16 empresas brasileiras e alemãs. Interrompidos no fim do governo tucano, os estudos foram retomados pelo governo petista em 2004.

O projeto do trem-bala vem chamando a atenção de outros países. Segundo o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, um total de sete países têm interesse no empreendimento: Coreia do Sul, Japão, França, Alemanha, China, Espanha e Itália. Esta última havia recuado das conversas com o governo brasileiro mas voltou a manifestar interesse no assunto.

*Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: trem-balaDilma RousseffJosé Serra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG