Na TV, Serra usa denúncias contra Erenice e prisões no Amapá

Programa de TV do tucano neste sábado destacou depoimento de Lula em favor do ex-governador Waldez Góes (PDT), preso pela PF

iG São Paulo |

A denúncia contra o filho da ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, e a prisão no Amapá do ex-governador Waldez Góes (PDT), apoiado por Lula e Dilma no Estado, foram destaques na noite deste sábado do programa eleitoral de José Serra , candidato do PSDB à Presidência da República.

nullA propaganda tucana exibiu o depoimento de Lula em favor de Waldez Góes e frisou a declaração em que o presidente pede apoio ao candidato, dizendo que o futuro governo Dilma precisará de “senadores que ajudem o Brasil a avançar no rumo certo”. “Por isso, aqui no Amapá, vote em Waldez Góes, que está com Dilma”, diz o presidente Lula no depoimento.

A declaração de Lula foi repetida duas vezes, destacando especialmente o trecho que veicula Dilma a Waldez Góes. Com imagens reproduzidas da revista ‘Veja’, a propaganda eleitoral de Serra também chamou a atenção para o escândalo e destacou a ligação entre Erenice Guerra, que substituiu Dilma na Casa Civil, e a candidata petista.

Com voz grave, o locutor explica no encerramento: "Ministério da Casa Civil: Zé Dirceu veio primeiro, Dilma veio depois e deixou a Erenice no seu lugar. É isso que você quer para o Brasil? Você conhece mesmo essa turma? O que você sabe sobre ela?".

Além de destacar o noticiário político, Serra também abordou o problema da violência no País, exibindo imagens de crimes, tiroteios e ações policiais. Sob o chapéu da "impunidade", os tucanos usaram os casos Tim Lopes, Pimenta Neves e Patrícia Franco como exemplo de fragilidade do governo federal na condução das leis criminais.

"Claro que esse é um problema da justiça, da legislação. Mas se o presidente tiver coragem e não andar em más companhias, ele pode influir sim", justificou o candidato tucano em depoimento.

Habitação

O programa de Dilma Rousseff, por sua vez, destacou as propostas para as mulheres e para a habitação. A candidata petista foi até a Bahia e prometeu direcionar até 60% das casas populares do programa “Minha Casa, Minha Vida” para família de até três salários mínimos.

A propaganda do PT mostrou ainda os investimentos do governo federal nas favelas de Paraisópolis e Heliópolis, as duas maiores de São Paulo, superaram as aplicações dos governos estadual e municipal.

nullCom animações especiais, o programa de Dilma também mostrou a integração dos programa sociais e o avanço na geração de emprego e renda no Brasil, sempre vinculando as realização do governo Lula ao gerenciamento dos projetos por Dilma.

“No nosso governo, 24 milhões de pessoas deixaram a linha da pobreza. É um recorde histórico, mas a gente quer ir além. Nossa meta é acabar definitivamente com a miséria”, disse Dilma em depoimento.

Verdes e nanicos

Já o programa verde de Marina Silva (PV) , investiu no combate ao desperdício. Como já acontece corriqueiramente, a presidenciável terminou o programa exibindo o depoimento de uma personalidade, que desta vez destacou o ato Marcos Palmeira.

No programa do PSOL, Plínio de Arruda criticou o "vale-tudo eleitoral" e exibiu um emocionado depoimento do caseiro Francenildo Costa. Ele chamou o candidato José Serra de "oportunista" ao tentar utilizar o episódio da quebra de seu sigilo bancário para atacar a candidata do PT.

Cabo eleitoral

No que diz respeito aos programas de candidatos proporcionais, o presidente Lula finalmente deu as caras na tv para pedir votos aos candidatos do partido que pleiteiam uma vaga de deputado federal. Lula apareceu durante metade do horário reservado aos proporcionais pedindo votos na legenda, seguido por Mercadante, candidato ao governo de São Paulo pelo PT. 

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG