Na TV, Serra e Dilma utilizam imagens de confronto no Rio

Programa petista diz que Serra não foi agredido e fez "teatro" com suposta simulação de dor; tucanos usam cena com fala de Dirceu

Daniela Almeida, iG São Paulo |

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra , voltou a explorar no programa eleitoral da noite desta quinta-feira as imagens do confronto entre militantes tucanos e petistas durante agenda do candidato, ontem, no Rio de Janeiro, quando foi atingido por um objeto. Em resposta, a candidata do PT, Dilma Rousseff , divulgou uma nota de repúdio à campanha tucana sobre o tema por dizer não ter ocorrido agressão. A partir de imagens transmitidas pelo SBT sobre o tumulto no Rio, o programa petista ironizou suposta simulação de dor do presidenciável tucano após ser atingido por objeto.  A privatização também continuou a ser tema de troca de acusações entre as legendas.

No programa tucano foi mostrada uma cena editada de um comício petista, com uma fala do então deputado federal presidente do partido, José Dirceu: “Eles têm que apanhar nas urnas e nas ruas”.

A campanha do PSDB voltou a citar a Eletrobras para responder às críticas de privatização pelos tucanos.

Novamente, foi exibido o direito de resposta ao PSDB no programa petista, que contestou a acusação do partido de que Serra e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) teriam privatizado a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e de que o presidenciável tucano teria privatizado 31 empresas, quando esteve à frente do governo paulista. “A CSN foi privatizada no governo Itamar Franco. O Serra era deputado nesta época”, afirmou uma apresentadora do PSDB.

Em resposta, os petistas divulgaram em seu horário nota de repúdio ao que entenderam como simulação de Serra no confronto. “O PT é contra qualquer tipo de violência, mas também contra qualquer tipo de manipulação”, diz o locutor. Segundo o programa petista, a partir de imagens do SBT, só depois de receber um telefonema “suspeito”, Serra levou a mão à cabeça. “Esse teatro todo definitivamente não combina com um candidato à Presidência”, afirma voz em off da peça eleitoral.

A privatização foi foco no programa da campanha do PT, que abriu o horário com um depoimento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva: “É preciso a gente ficar de olho aberto”. O programa, lembrou ainda uma lei que Dilma teria ajudado a criar e que destina os recursos do pré-sal para áreas como Saúde e Educação. “Hoje ela (a Petrobras) é mais nossa do que nunca”, declarou Dilma. A pesquisa Ibope, que apontou uma vantagem de 12 pontos de Dilma, também foi mostrada.


    Leia tudo sobre: pleito 2010eleições serraeleições dilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG